Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 25/06 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 23/06 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 23/06 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 25/06 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 23/06 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 24/06 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/06 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 24/06 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 23/06 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/06 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Urgente
UNITA convoca Congresso para 13 de Novembro
França

França: confrontos entre coletes amarelos e polícia

media  
Cena de violência em Paris, durante mais uma mobilização dos coletes amarelos. 01 de Dezembro de 2018 REUTERS/Benoit Tessier

Prosseguiram neste sábado, em toda a França, as manifestações dos coletes amarelos, que qualificaram este dia de "terceiro acto" do seu movimento de protestos contra a política do executivo de Emmanuel Macron. O primeiro-ministro Edouard Philippe reagiu afirmando que, os confrontos entre manifestantes e as forças de polícia nos Campos Elísios (Champs-Elysées) foram de grande violência.Este "terceiro acto" dos coletes amarelos caracterizou-se por uma escalada sem precedentes da violência em vários bairros de Paris.

Depois dos primeiros recontros, entre os manifestantes e as forças da ordem, ocorridos próximo dos Campos Elísios (Champs-Elysées), o terceiro acto do movimento dos coletes amarelos, desembocou numa escalada da violência em toda a França, com destaque especial para a capital francesa, onde foram erigidas barricadas, montras de lojas vandalizadas e viaturas incendiadas.

Depois do ministro do interior, Christophe Castaner, ter posto em causa a presença de 1.500 manifestantes que ele acusou de perturbadores, o chefe do governo Edouard Philippe reagiu aos confrontos que tiveram lugar nas imediações dos Campos Elísios.

O primeiro-ministro Edouard Philippe reagiu afirmando que, os confrontos entre manifestantes e as forças de polícia nos Campos Elísios (Champs-Elysées) foram de grande violência

Edouard Philippe, primeiro-ministro francês 01/12/2018 ouvir

"Em Paris muito cedo, de manhã, indivíduos equipados, decididos, a provocar, a testar o dispositivo, a provocar as forças da ordem, juntaram-se fora do cordão de segurança que tinha sido definido com a Comando da Polícia, de forma que as manifestações decorressem na ordem.

Os manifestantes deram mostras de uma grande violência. As forças da ordem resistiram . Elas mostraram a relevância do dispositivo.

As mesmas foram atacadas com uma violência, que disseram não ter precedentes.

Neste momento mais de 107 pessoas foram detidas. O que é um número considerável...e que demonstra simultâneamente, a violência contra as forças da ordem e a nossa determinação a não tolerar isso"

De acordo com as autoridades francesas, ao fim da tarde de Sábado o balanço dos confrontos era muito mais pesado, de que o estabelecido na anterior jornada de mobilização parisiense do dia 24 de Novembro.

Neste terceiro acto dos coletes amarelos contra a política económica e social do executivo de Emmanuel Macron, 92 pessoas ficaram feridas, das quais 14 agentes da polícia, e 194 manifestantes foram apreendidos.

De salientar também que no perímetro entre a Opéra de Paris, a prestigiosa avenida Foch e a rua de Rivoli, tiveram lugar cenas de guerrilha urbana, que afectaram vários bairros ,ditos chiques, da capital francesa.

A edil de Paris, Anne Hidalgo manifestou a sua indignação e profunda tristeza perante a onda de violência, no coração de Paris.

Interrogados, vários manifestantes consideraram que a França é um país, onde progridem as desigualdades.

 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.