Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 16/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 16/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 16/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 16/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Moçambique

Moçambique: jornalista Amade Abubacar denuncia tortura

media  
O jornlalista moçambicano Amade Abubacar, actualmente preso por alegadamente atentar contra a segurança do Estado.Abubacar aguarda o julgamento. https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1865021463718776&set=a.1

Actualmente na prisão por ter alegadamente atentado contra a segurança do Estado, o jornalista Amade Abubacar afirmou ter sido torturado pelos militares. Segundo a Comissão dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados de Moçambique (OAM) que visitou Abucar na sua reclusão, na penitenciária de Mieze, Abubacar contou que foi alvo de ataques físicos por parte de alguns militares.

O jornalista da radio comunitária de Nacedge, Amade Abubacar, denunciou a ordem dos Advogados de Moçambique que foi alvo de espancamento e outras sevícias nas mãos dos militares, num quartel de Mueda em Cabo Delgado.

De acordo com Ricardo Moresse, Presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados de Moçambique, durante o encontro com Amade Abubacar em Mieze, este relatou ter sido alvo de sevícias quando esteve no quartel de Mueda.

 

Segundo a mesma fonte, Amade Abubacar foi igualmente submetido a torturas físicas no estabelecimento prisional de Macomia, onde teria passado fome.

Ricardo Moresse considerou que, várias são as situações que levantam estranheza em todo este processo, desde a detenção de Abubacar pela polícia, a custódia sob os militares durante 10 dias, até a sua transferencia da cadeia distrital para a província.

Abubacar, que se encontra detido desde o passado dia 5 de Janeiro, é acusado de prática do crime de violação do segredo do Estado e instigação pública ao crime com recurso a meios informáticos.

Emília Moiane, Directora do Gabinete de Informação de Moçambique afirmou que existem evidências de que Amade Abubacar não estava a efectuar um trabalho jornalístico.

Num encontro, ocorrido durante a semana que findou, entre o Primeiro-ministro moçambicano Carlos Agostinho do Rosário e representantes da comunicação social, os jornalistas exprimiram o seu descontentamento perante a detenção de Amade Abubacar.

 

 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.