Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 16/07 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 14/07 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/07 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 14/07 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 16/07 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/07 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 14/07 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 16/07 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/07 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 14/07 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 15/07 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/07 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
África

Egipto: referendo sobre terceiro mandato para Al-Sissi

media Cartazes de apoio ao Presidente Al-Sissi,na cidade do Cairo.16 de Abril de 2019. MOHAMED ABD EL GHANY / REUTERS

Os egipícios começaram a votar neste sábado, no âmbito de um referendo constitucional destinado a consolidar o poder do Presidente Abdel Fattah al-Sissi, que tinha afastado o seu antecessor islamista Mohamed Morsi, através de um golpe de Estado, e posteriormente eleito. O referendo submeteu a população o pedido de um novo mandato para al-Sissi, assim como uma maior participação dos militares na vida política do Egipto.

O escrutínio do referendo iniciado sábado decorrerá durante mais dois dias e tem como objectivo, na prática, consolidar os poderes do generai-Presidente Abdel Fattah al-Sissi, após o fracasso em 2011, no Egipto, da chamada Primavera Árabe, durante a qual foi destituído e subsequentemente detido e processado, o então chefe de Estado, marechal Hosni Mubarak.

No âmbito do referendo constitucional, os egípcios devem responder se são favoráveis  ou não  à um terceiro mandato de quatro anos para Fattah al-Sissi e à um maior envolvimento dos militares na vida política do país.

Os parlamentares foram os primeiros a votar a favor de al-Sissi, que sublinhou necessitar de mais tempo para implementar as reformas em curso no Egipto.

Todavia, os adversários do Presidente al-Sissi consideram que uma maior influência dos militares na vida política do país, pode vir a ter um impacto negativo na democratização do Egipto.

Abdel Fattah al-Sissi foi eleito em 2014 e reeleito em 2018.

Na sua segunda candidatura à magistratura suprema do Egipto, sem verdadeiros rivais, Fattah al-Sissi venceu a eleição presidencial com 97% dos sufrágios.

As duas vitórias eleitorais de al-Sissi foram criticadas por organizações de direitos humanos, devido ao alegado afastamento dos seus principais adversários, tanto islamistas como laicos.

 

 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.