Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 22/08 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 18/08 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/08 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 22/08 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 18/08 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/08 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 22/08 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 18/08 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/08 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 22/08 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 18/08 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/08 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Urgente
365 migrantes do barco Ocean Viking vão poder desembarcar em Malta
Angola

Empresários querem manutenção de Malabo na CPLP

media Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, presidente da Guiné-Equatorial TIAGO PETINGA / LUSA

Os empresários da CPLP estão preocupados com as posições públicas políticas sobre a Guiné Equatorial. Malabo tarda na implementação do roteiro de adesão à CPLP, nomeadamente no que diz respeito à abolição da pena de morte.

Os empresários da CPLP estão preocupados com as posições públicas políticas sobre a Guiné Equatorial. Esta semana governantes de vários países da comunidade lusófona questionaram a permanência da Guiné Equatorial como estado-membro do bloco, na medida em que Malabo ainda não implementou o roteiro de adesão à CPLP, nomeadamente no que diz respeito à abolição da pena de morte.

Em entrevista à Lusa em Lisboa, Salimo Abdula, presidente da Confederação Empresarial da Comunidades dos Países de Língua Portuguesa (CE-CPLP), defendeu que a Guiné Equatorial não deve ser afastada da organização.

O empresário moçambicano sublinhou que os empresários não se vão “meter nas politiquices”, mas lembrou que a Guiné Equatorial foi admitida na CPLP por decisão política. "Não fomos nós que admitimos, mas ficamos galvanizados, porque há oportunidades para empresários da lusofonia lá", acrescentou o presidente da CE-CPLP.

Nós, os empresários, não nos vamos meter em politiquices. Penso que a Guiné Equatorial foi admitida por decisão política. Não fomos nós que a admitimos, (…) mas ficamos galvanizados, porque há oportunidades para empresários da lusofonia lá. A Guiné Equatorial está a precisar de se abrir à comunidade, de convivência com outros países com mais experiência no plano democrático. (…) Aceitámos, não podemos renegar agora. Esta é a posição dos empresários. Da parte política, se há razoes, desconhecemos”.

De relembrar que durante esta semana, vários países da comunidade lusófona questionaram a permanência da Guiné Equatorial como estado-membro do bloco, na medida em que Malabo ainda não implementou o roteiro de adesão à CPLP, nomeadamente no que diz respeito à abolição da pena de morte.

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.