Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 22/08 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 18/08 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/08 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 22/08 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 18/08 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/08 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 22/08 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 18/08 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/08 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 22/08 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 18/08 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/08 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
África

Johnny Clegg: zulu branco vai para paraíso eterno

media  
O músico sul-africano Johnny Clegg, na Grande Halle de la Villette em Paris. Maio de 201010. © RFI/Edmond Sadaka

Conhecido pela a alcunha de Zulu Branco ( The White Zulu ),o músico sul-africano Johnny Clegg, faleceu no dia 16 de Julho de 2019 com 66 anos, após uma luta de quatro anos contra o cancro.Descoberto pelo público francês em fins dos anos 1980, Clegg desafiou o então regime de apartheid e revolucionou a música sul-africana, ao integrar os rítmos zulus no contexto do rock e da música pop contemporâneos. "Impi","Scatterlings of Africa","Asimbonanga" e "The Great Heart", estão entre as composições mais conhecidas de Johnny Clegg.

Apaixonado pela cultura zulu, desde a sua infância, formado em sociologia, Johnny Clegg, era mais do que um simples músico para os sul-africanos. A sua música, síntese de rock e pop e de rítmos zulus, fascinou a África do Sul e o mundo, pela sua generosidade e intensidade, assim como pela consciência social e política.

Preso pelas autoridades do apartheid por violar as leis do regime, Johnny Clegg defendia através da sua música uma África do Sul fraterna, multi-étnica e pluricultural.

O público francês descobrirá Clegg e a sua banda Juluka, em 1982, graças ao album Scatterlings of Africa, um sucesso em França e na Grã-Bretanha. Em fins dos anos 1980, num dos períodos mais intensos da luta anti-apartheid na África do Sul e no mundo, Johnny Clegg dará em 1986 o seu primeiro concerto na Europa, no âmbito de festival Jazz et Musiques Métisses, em Angoulême, no sudoeste da França. Posteriormente Clegg vai tornar-se uma vedeta internacional e levará  ao mundo a sua fusão de rock, rítmos e danças zulus.

Diagnosticado com um cancro do pâncreas em 2015, Clegg, faleceu a 16 de Julho 2019 com 66 anos.

Nascido em Manchester, na Inglaterra, de um pai inglês e uma mãe zimbabueana, Clegg foi com 6 anos idade para a África do Sul, seu país de adopção, onde tornar-se-á um îcone,graças à sua música e paixão pela cultura zulu.

Entre as composições mais conhecidas de Johnny Clegg, estão Asimbonanga, dedicada à Nelson Mandela, Scatterlings of Africa, Great Heart, The Crossing e também Impi, seu primeiro grande hit.

 

 

 

 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.