Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 12/02 16h00 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/02 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 12/02 17h00 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/02 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 12/02 18h00 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/02 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 12/02 19h00 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/02 19h10 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 14/02 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/02 16h06 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 13/02 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/02 17h06 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 13/02 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/02 18h06 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 13/02 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/02 19h06 GMT
África

Luanda expulsa trabalhadores portugueses

media Luanda, capital angolana Erik Cleves Kristensen/Wikipédia

Grupo de 42 portugueses vai ser expulso de Luanda, Angola, por se encontrarem a trabalhar no país de forma irregular e com visto de turista. Uma situação que volta a agitar as relações entre Luanda e Lisboa.

Quarenta e dois cidadãos portugueses que trabalham numa empresa de construção civil lusa foram detidos, durante o fim de semana em Luanda, por exercício de actividade remonerada sem visto de trabalho.

Os serviços de migração estrangeira em Angola anunciaram que os cidadão portugueses serão expulsos do país, pagando cada uma multa de mil dolares. Já a empresa, que os contratava,  vai pagar uma multa que rondará os cinco mil dolares, por cada trabalhador que se encontrava em situação ilegal.

Recorde-se que, já neste sábado,  foi detido no aeroporto de Luanda um português com 32 passaportes para funcionários da empresa Prebuild, mas o detido não pertence à firma.

Segundo o porta-voz do serviço de migração estrangeira em Angola, Simão Milagre, a rede ilegal de vistos contava com a ajuda de um elementos dos serviços no aeroporto, que carimbava e actualizava o processo de entradae saída nos passaportes.

Entretanto, instituições diplomáticas e religiosas, em Luanda, tem protestado junto das autoridades angolanas devido às dificuldades migratórias na obtenção de visto de trabalho para Angola.

 

Correspondência de Luanda 04/07/2011 ouvir

Com a colaboração do nosso correspondente em Luanda, Avelino Miguel.

 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.