Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 11/02 16h00 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/02 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 11/02 17h00 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/02 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 11/02 18h00 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/02 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 10/02 19h00 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/02 19h10 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 07/02 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 07/02 16h06 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 07/02 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 07/02 17h06 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 07/02 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 07/02 18h06 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 07/02 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 07/02 19h06 GMT
África

África do Sul cumpre luto após massacre de mineiros

media Intervenção da polícia sul-africana na greve deixou por terra 34 mineiros Reuters

O governo sul-africano decretou uma semana de luto nacional depois do massacre policial de 34 mineiros durante uma greve no dia 16 de Agosto, em Marikana. A Ministra do Trabalho de Moçambique reunir-se-á esta terça-feira com os mineiros moçambicanos.

A África do Sul começou esta segunda-feira um luto nacional de sete dias na sequência do massacre de trabalhadores de uma mina no noroeste do país. Estes acontecimentos constituem o pior massacre policial desde o fim do apartheid.

A Lomnin, empresa que explora a mina, prorrogou por 24 horas, até terça-feira de manhã, o ultimato que tinha lançado aos grevistas para voltarem aos seus postos de trabalho. Isto porque apesar das ameaças de despedimento, a maior parte daqueles continuou a acção grevista. A empresa não fez ainda nenhuma referência à questão salarial que está na base do descontentamento dos mineiros.

Os trabalhores que não se apresentarem ao trabalho serão despedidos, o que para os estrangeiros, nomeadamente moçambicanos, poderá significar o regresso ao país de origem. Entretanto, a Ministra do Trabalho de Moçambique, Maria Helena Taipo, reunir-se-á, esta terça-feira, com os mineiros moçambicanos para se inteirar da sua situação e para apoiar os que saíram feridos da intervenção policial. Recorde-se que não houve registo de mortes de cidadãos moçambicanos.

Mais informação com João de Sousa, nosso correspondente em Pretória.

Correspondência África do Sul, João de Sousa 20/08/2012 ouvir

 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.