Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
África

Activistas angolanos aguardam decisão sobre prisão preventiva

media José Marcos Mavungo e Arão Bula Tempo DR

Os activistas detidos a 14 de Março no enclave angolano de Cabinda continuam a aguardar a decisão da justiça sobre a prorrogação ou não da prisão preventiva. O prazo termina amanhã, de acordo com o advogado Franscisco Luemba.

O advogado dos ativistas detidos desde março, no enclave angolano de Cabinda, não está nada confiante no fim da prisão preventiva e denuncia uma série de “ilegalidades” em torno da detenção do ativista José Marcos Mavungo, do advogado Arão Tempo e do empresário Manuel Biongo.

Francisco Luemba, Advogado 27/04/2015 ouvir

Os activistas estão detidos preventivamente desde 14 de Março, dia em que estava prevista uma marcha de protesto contra a má governação em Cabinda e a violação dos direitos humanos na província. O protesto acabou por não se realizar.

Os detidos estão indiciados de alegados crimes contra a segurança do Estado, mas ainda sem acusação formal.

José Marcos Mavungo, de 56 anos, tinha sido internado de urgência a 09 de Abril devido a problemas cardíacos, mas acabou por regressar à cadeia. No mesmo dia, Arão Tempo, de 52 anos, foi assistido no hospital local devido a problemas de hipertensão, tendo, depois, regressado ao estabelecimento prisional.

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.