Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 16/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 13/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 16/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 13/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 16/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 13/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 16/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 13/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
África

Dia mundial da abolição da escravatura

media Sede da Unesco LOIC VENANCE / AFP

Neste dia mundial da abolição da escravatura, a Organização das Nações Unidas (ONU) quer, através desta efeméride, evidenciar a importância da transmissão da história para iluminar os combates contra todas as formas de opressão e racismo nos dias de hoje.

"A revolta pela conquista da liberdade ultrapassa todos os limites do espaço e do tempo", descreveu na mensagem para este dia a directora-geral da UNESCO, Irina Bukova.

Uma data escolhida em memória da insurreição dos africanos escravizados no actual Haiti em 1791. Esta revolta como tantas outras, que "indicaram uma via, mas ainda hoje mostram que o caminho é ainda longo" descreve a directora da UNESCO.

A organização luta pelo reforço da dignidade humana e como exemplo vários projectos, entre os quais, “a Rota dos Escravos” e o ensino da História Geral da África; projectos que pretendem combater "a ignorância". Esta que serve, segundo a directora geral da UNESCO, de alibi às pessoas que afirmam que “nada pode ser mudado”.

A UNESCO lembra, hoje, os milhões de vidas ceifadas e as consequências sobre os destinos dos continentes até aos nossos dias.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.