Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 20/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 20/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 20/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 20/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
África

Referendo para rever constituição a caminho no Togo?

media Faure demissão um dos slogans das manifestações em Lomé contra revisão da constituição para presidente s emanter no poder Reuters

No Togo, esta quarta-feira ficou marcada por manifestações da oposição, em Lomé, capital e em várias cidades do centro e norte do país, exigindo a demissão do presidente Faure Gnassingbé, que, para se manter no poder, quer uma revisão da constituição, por referendo.

Milhares de pessoas reclamaram, esta quarta-feira, (20), na capital do Togo, nas ruas de Lomé e várias outras cidades do país, a demissão do Presidente togolês, Faure Gnassimgbé, respondendo presente ao apelo de manifestação da oposição.

Os manifestantes exigiram igualmente a reposição da constituição de 1992, a exemplo do que já tinham feito em duas marchas históricas a 6 e 7 de setembro reunindo mais de 100.000 pessoas.

Em agosto, a polícia togolesa reprimiu manifestações matando duas pessoas, mas nas manifestações de hoje ainda só há notícias de 4 pessoas feridas.

"Não somos jiadistas, não somos rebeldes", declarou Abdallah, 42 anos, do Partido Nacional Panafricano (PNP) de Tikpi Atchadam, um dos líderes mais radicais do movimento.

"Pedimos tão-somente democracia, porque já estamos cansados", sublinhou Abdallah, reagindo ao forte dispositivo policial para intimidar os manifestantes.

Nas diferentes manifestações via-se cartazes com inscrições como "Faure tem de partir" ou "Libertem o país, 50 anos, já basta".

Estas manifestações vêm no seguimento do boicote da oposição no parlamento sobre uma proposta de revisão constitucional  prevendo limitar para dois o número de mandatos presidenciais, de maneira retroactiva encapotada. 

A oposição boicotou a sessão parlamentar de ontem denunciando um "simulacro na plenária", sublinhando que a retroactividade é uma artimanha, pois, não se aplica ao presidente Faure Gnassimgbé, que quer candidatar-se em 2020 e 2025, sabendo que é herdeiro duma família que controla o país há 50 anos.

Ele sucedeu ao pai, o ex-Presidente Gnassimgbé Eyadema, em 2005 e está disposto a perdurar-se no poder, pelo menos até 2030.

Mas chumbada a proposta de revisão da constituição na ausência da oposição, o governo afirmou que a mesma será submetida a referendo nos próximos meses.

Daí a oposição prometer mais manifestações para denunciar esta medida autoritária do poder no Togo.

João Matos sobre manifestações no Togo 20/09/2017 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.