Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 19/08 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 21/08 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/08 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/08 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 19/08 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 21/08 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/08 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/08 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 19/08 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 20/08 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/08 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/08 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 19/08 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 20/08 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/08 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/08 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
África

Bemba livre à espera de nova sentença

media Partidários de Jean-Pierre Bemba celebram a sua absolvição a 8 de Junho na sede do partido, o MLC, em Kinshasa. JOHN WESSELS / AFP

Jean-Pierre Bemba foi colocado em liberdade pelo Tribunal penal internacional nesta terça, 12 de Junho. O antigo vice-presidente da RDC deve aguardar na Bélgica pela sentença do TPI num outro caso onde ele foi condenado por suborno de testemunhas, ele arrisca-se a cumprir uma pena até cinco anos de cadeia.

O Tribunal Penal Internacional absolveu em segunda instância Jean-Pierre Bemba de crimes de guerra e crimes contra a humanidade no caso da intervenção das suas tropas do MLC (Movimento de libertação do Congo) na República centro-africana entre 2002 e 2003, alegando que ele nem se encontrava presente no terreno.

E isto após uma primeira condenação a 18 anos de cadeia nesse caso, a mais pesada de sempre da história do TPI, implicando violações e saques por parte das suas milícias.

A sua absolvição a 8 de Junho passado provocou uma onda de condenação junto de organizações de defesa de direitos humanos.

A Procuradora do TPI, Fatou Bensouda qualificou a decisão como sendo "lamentável e desestabilizadora".

Os muitos apoiantes de Bemba, em Kinshasa, mas também em Bruxelas, têm festejado, por outro lado, esta decisão.

O TPI tem agora que preparar a transferência de Bemba para a Bélgica em conformidade com as autoridades de Bruxelas, mas também de Amsterdão por ele não ter documentos de viagem válidos.

Bemba deve ainda conhecer a sentença no caso em que foi condenado pelo TPI por suborno de 14 testemunhas.

Ele arrisca-se a ser condenado a cumprir uma pena de cinco anos de cadeia, uma pena que ele poderá já ter cumprido por ter ficado encarcerado mais do que esse tempo nas celas do TPI.

 

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.