Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 18/06 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 16/06 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/06 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/06 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 18/06 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 16/06 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/06 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/06 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 17/06 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 16/06 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/06 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/06 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 17/06 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 16/06 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/06 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/06 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Urgente
Presidenciais na Guiné-Bissau a 24 de Novembro

Nova rede social aposta em “sistema económico mais justo”

Nova rede social aposta em “sistema económico mais justo”
 
Rede social Indigo vai ser oficialmente lançada em Novembro. https://www.facebook.com/IndigoCommunity/

Uma rede social de entreajuda, chamada “Indigo”, vai ser oficialmente lançada em França, em Novembro, e depois vai ser apresentada em Portugal, na Grécia e na Costa do Marfim. A ideia é de Stéphane de Freitas, um francês com origens portuguesas, que fala na “primeira rede social mesmo social” e que é baseada num “sistema económico mais justo”.

Tive o privilégio de ser convidado, no início deste ano, para o salão VivaTech (Paris) e pude falar no palco logo após o Mark Zuckerberg. Anunciei que a Indigo podia ser a primeira rede social mesmo social. Hoje, as redes sociais só fazem ‘business’, mas há 600 milhões de pessoas que, no dia-a-dia, nem sequer podem ter acesso a comida ou roupa ou coisas elementares para a vida delas”, explica Stéphane de Freitas.

A rede “Indigo” vai chegar ao público depois de uma fase de testes de dois anos e meio, em que estiveram inscritas 24.000 pessoas. A tecnologia nasceu graças a um projecto de financiamento participativo na internet que teve o apoio da Microsoft. Na origem da rede esteve a associação La Coopérative Indigo, criada por Stéphane de Freitas, cujo objectivo era facilitar os laços sociais e contrariar as deigualdades sociais. O artista e “empresário social” tentou imaginar “o sistema económico mais justo que pudesse existir”.

Fui ver economistas, alguns conhecidos, e eles disseram-me que este sistema se um dia existisse, seria uma revolução e realmente um meio para mudar o mundo, mas que era uma utopia, um sonho”, contou.

A rede substitui o dinheiro pela entreajuda. Um membro pode oferecer um bem ou um serviço a alguém ou a uma associação que necessite e ganha pontos. Quantos mais pontos tiver, mais facilmente também poderá aceder a outros bens e serviços que ele próprio precise.

Stéphane de Freitas, de 32 anos, acredita que a sua geração é capaz de mudar “uma sociedade em pirâmide para algo muito mais colaborativo” graças, também, à forma como domina a internet.

Além de França, onde nasceu, o jovem decidiu lançar oficialmente a aplicação em Portugal, Grécia e Costa do Marfim devido ao espírito de solidariedade que considera existir nesses países.

Actualmente, Stéphane de Freitas está a preparar um documentário, intitulado "Solidarité", e que é financiado pela Netflix. O filme acompanha a história de cinco militantes associativos no Mali, Brasil, Nova Iorque e França e conta com a participação dos músicos Youssou N’Dour, Fatoumata Diawara, Ibrahim Maalouf, Seu Jorge, M, Nekfeu, entre outros.

O realizador foi nomeado, este ano, para os prémios do cinema francês Césars na categoria de “Melhor Filme Documentário” com o filme “À voix haute : La Force de la parole”. Quando saiu na internet, em 2016, o filme teve mais de um milhão de visualizações em sete dias.

O documentário retrata o concurso de eloquência e uma pedagogia para a oralidade que ele criou e que foram adoptadas por 60 escolas em França e 100 novas escolas devem fazê-lo em breve, tendo o conceito sido exportado para outros países.


Sobre o mesmo assunto

  • Ciência

    Planeta, ONU dá último grito!

    Saber mais

  • Ciência

    "Luta contra o cancro vale Nobel"

    Saber mais

  • Ciência

    Cientistas estudam efeitos dos ómega 3 na saúde humana

    Saber mais

  • Ciência

    Antes brincavam na rua, hoje com telemóveis

    Saber mais

  • Lepra: uma doença que escapa à erradicação

    Lepra: uma doença que escapa à erradicação

    No Magazine Ciência vamos falar da lepra. A lepra é uma infecção crónica causada por duas bactérias. A doença é transmitida essencialmente entre pessoas. A lepra é mais …

  • “Educar os filhos sem bater

    “Educar os filhos sem bater", a beleza da infância

    “Educar os filhos sem bater” é o novo livro do psicólogo angolano Nvunda Tonet. Um ensaio sobre parentalidade positiva que visa servir de auxílio aos pais. Numa sociedade …

  • Taxa de seroprevalência aumenta em Moçambique

    Taxa de seroprevalência aumenta em Moçambique

    Moçambique registou um aumento da taxa de seroprevalência que atinge agora os 13,2% e coloca os pais entre os cinco piores do mundo. As conclusões fazem parte de uma …

  • Os oceanos deverão subir dois metros em 80 anos

    Os oceanos deverão subir dois metros em 80 anos

    Um novo estudo publicado na revista da Academia Americana das Ciências dá conta da probabilidade que a elevação do nível dos oceanos seja ainda mais grave.O estudo agora …

  • Biofiltros para dar água potável a populações desfavorecidas

    Biofiltros para dar água potável a populações desfavorecidas

    No Magazine "Ciência" vamos falar de biofiltros.O centro de Química Verde LAB em Luanda, em Angola, criou biofiltros para dar água potável às comunidades locais.António …

  • Pau de Cabinda proibido na União Europeia

    Pau de Cabinda proibido na União Europeia

    A venda de Pau de Cabinda passou a ser proibida, a partir desta terça-feira, em todos os países da União Europeia. A decisão foi tomada perante "uma incerteza científica" …

  • Os desafios da conservação da biodiversidade em Moçambique

    Os desafios da conservação da biodiversidade em Moçambique

    Hoje focamos o nosso olhar sobre a biodiversidade em Moçambique. Nesta Segunda-feira foi divulgado um relatório internacional elaborado por peritos de 132 países tecendo …

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
As emissões
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.