Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 26/06 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 23/06 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 26/06 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 23/06 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 26/06 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 23/06 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 26/06 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 23/06 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Derrame de petróleo em Cabinda

media Mapa da África com destaque para cabinda. DR

Soube-se hoje que um derrame de petróleo ocorrido na semana passada no município de Cacongo em Cabinda esta a afectar a actividade de cerca de 30 pescadores daquela zona que estão impossibilitados de prosseguir a pesca devido à poluição e aos estragos causados sobre os seus utensílios.  

De acordo com uma fonte da secretaria provincial do Ambiente citada pela imprensa local, o derrame de petróleo foi confirmado, faltando agora determinar a origem do sucedido na sequência de uma análise laboratorial. A imprensa local refere ainda que a petrolífera norte-americana Chevron que opera no enclave tem estado a apoiar as operações de limpeza naquela zona.

Por sua vez, ao colocar em acusação a Chevron, a AVOPESCA -Associação Voz do Pescador de Cacongo- que representa os pescadores cuja actividade tem estado paralisada, refere que ainda permanecem áreas poluídas e que a actividade piscatória é por enquanto impossível. Ao referir não ter tido nenhuma resposta quanto a eventuais compensações para os pescadores lesados, João Ntendequele, presidente da AVOPESCA, lança um apelo para que haja uma "mudança de atitude" nomeadamente por parte das autoridades locais para prevenir novos derrames.

João Ntendequele, presidente da Associação Voz do Pescador de Cacongo 22/09/2015 ouvir

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.