Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 28/05 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 27/05 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 28/05 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 27/05 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 28/05 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 27/05 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 28/05 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 27/05 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 28/05 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 27/05 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 28/05 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 27/05 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 28/05 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 27/05 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 28/05 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 27/05 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Mortalidade infantil elevada nos hospitais angolanos

media foto: United Nations Photo/Flickr

Os hospitais angolanos estão a registar uma elevada taxa de mortalidade infantil faltando material médico básico e medicamentos.

As condições nos hospitais angolanos complicam-se e a mortalidade infantil tem uma taxa elevada.

A crise nos hospitais públicos em Angola atinge proporções alarmantes nos últimos dias. Cresceram as mortes nos hospitais angolanos, principalmente de crianças, vítimas de patologias diversas.

Entre as causas destacam-se a malária, a febre amarela, a falta de medicamentos e outras necessidades básicas para o funcionamento normal de um hospital.

A crise económica agravou o já deficiente sistema nacional de saúde. No hospital pediátrico de Luanda, o maior do país, morrem em média 30 crianças por dia.

Os médicos desesperados puseram a cicrular nas redes sociais, apelos à solidariedade das pessoas para recolher medicamentos e material para salvar os que chamam "os nossos filhos".

O Ministério da Saúde anunciou que já foram tomadas medidas para minimizar a crise nos hospitais públicos angolanos.

Mais pormenores com o nosso correspondente Avelino Miguel.

Correspondência de Avelino Miguel 15/03/2016 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.