Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 25/06 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 23/06 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 25/06 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 23/06 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/06 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 24/06 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 23/06 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/06 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 24/06 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 23/06 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/06 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Quesitos finais contra os 37 "golpistas" angolanos

media Tribunal Provincial de Luanda RFI

Foram lidos hoje os quesitos finais contra os 37 ex-militares, na sua maioria pertencentes à UNITA, presos há largos meses sob a acusação de terem protagonizado uma tentativa de assalto à mão armada ao Palácio Presidencial em Janeiro de 2016. O Ministério Público reclamou penas até aos 8 anos de prisão.

Para quatro dos membros do grupo dos chamados "golpistas", o Ministério Público solicitou a absolvição, reconhecendo não ter sido provado o seu envolvimento nos crimes imputados aos ex-militares. A defesa que já contestou as alegações do Ministério Público afirmou à imprensa que não foram provadas durante o processo as acusações de que têm sido alvo os réus cujo julgamento começou no passado dia 2 de Dezembro.

O Ministério Público sustenta que o grupo "era bastante organizado militarmente e que recrutavam os ex-militares " da UNITA, com o propósito de tomar o poder e atentar contra o Presidente José Eduardo dos Santos. A defesa, por sua vez, desmente argumentando que os ex-militares apenas se preparavam a manifestar para exigir a sua integração na Caixa Social das Forças Armadas Angolanas.

A justiça angolana deve dar a conhecer a sua sentença no próximo 15 de Março.

Mais pormenores com Avelino Miguel.

Avelino Miguel, correspondente da RFI em Angola 01/03/2017 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.