Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 26/03 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 24/03 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/03 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/03 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 26/03 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 24/03 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/03 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/03 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 26/03 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 24/03 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/03 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/03 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 26/03 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 24/03 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/03 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/03 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Sindicatos de professores adiam greve em Angola

media Faculdade de direito da Universidade Agostinho Neto em Luanda DR

Plataformas de sindicatos de professores adiaram o movimento de greve previsto para esta quinta-feira, 9 de Março, e concederam um prazo suplementar ao governo angolano para encontrar uma saída à crise que se instalou neste sector.

O movimento de greve dos professores universitários tinha ameaçado começar esta quinta-feira uma greve, mas ficou, por enquanto, suspensa tendo sido concedido um prazo suplementar para se chegar a um acordo com o governo angolano.

Ontem, a plataforma de três sindicatos da educação integrada pelo SINPES, do Ensino Superior, o SINPROF e o SENPTENU, do ensino não universitário e trabalhadores não docentes, entregaram uma carta ao Presidente angolano na qual dizem que se José Eduardo dos Santos não se pronunciar favor, até ao final do mês de Abril, poderá ocorrer a primeira paralisação de todo o sistema de educação em Angola.

A direcção provincial da Educação de Luanda respondeu hoje ao movimento descrevendo sem motivos "que bastem" as preocupações apresentadas pelos professores na capital angolana. Os professores ameaçam iniciar uma greve motivada, nomeadamente, por questões pendentes como os subsídios de coordenação e o aumento salarial.

Segundo a direcção provincial de Educação de Luanda estas alíneas já estão "equacionadas", mas condicionadas à actual crise económica e financeira que Angola enfrenta.

Reagindo à recente exoneração de Adão do Nascimento, ministro do ensino superior, Carlinhos Zassala, secretário do sindicato SINPES para Luanda e Bengo, considera que a atitude que teve para com os professores poderá ter jogado contra ele.

Carlinhos Zassala, secretário do sindicato SINPES para Luanda e Bengo 09/03/2017 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.