Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 15/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 13/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 15/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 13/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 15/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 13/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 15/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 13/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.

Lunda Norte acolhe desde Abril 15 mil famílias de refugiados congoleses

Lunda Norte acolhe desde Abril 15 mil famílias de refugiados congoleses
 
ALEXANDER JOE / AFP

A província da Lunda Norte, no nordeste de Angola, que tem mais de 700 kms de fronteira comum com a RDC (550 kms terrestres e os restantes fluviais) acolhe desde Abril segundo o ACNUR, cerca de 16 mil refugiados congoleses, entre os quais mais de 4 mil crianças, muitas delas, exaustas, desnutridas e afectadas por diarreias, malária e outras patologias.

Segundo a ONU este conflito provocou cerca de 400 mortos e mais de 1 milhão de deslocados, muitos deles enterrados nas cerca de 40 valas comuns descobertas na região do Kasai.

Manuel Pembele Mfulotoma é o director geral da Associação Juvenil para o Desenvolvimento Comunitário de Angola - AJUDECA - e gestor de programas de promoção da transparência na Lunda Norte, de onde regressou domingo passado (30/04).

Ele admite que a situação é "alarmante" e constatou a presença de cerca de 15 mil famílias de refugiados congoleses, justificando esta "discrepância" com os números apontados pelo ACNUR, pela ausência de registo de todos os que atravessam a fronteira, designadamente através de "pontos de passagem clandestinos".

Os refugiados fogem à violência provocada pelos conflitos politico-étnicos, que assolam as províncias do Kasai Central e Oriental e de Lomani, que opoem tropas governamentais às milícias armadas tribais "Kamuina Nsapu", do chefe tradicional Jean Pierre Mpandi morto em Agosto de 2016 pelas tropas congolesas.

Estas milícias que contestam a manutenção no poder do Presidente Joseph Kabila, têm sido acusadas de recrutar centenas de crianças soldados.

Angola reforçou desde 18 de Abril a presença policial e militar na fronteira da Lunda norte com a República Democrática do Congo temendo a entrada no país de bandos armados e o ACNUR pede ao país que não encerre as suas fronteiras com a RDC.

 

 


Sobre o mesmo assunto

  • ANGOLA

    Angola: fim do repatriamento de refugiados

    Saber mais

  • Convidado

    Guterres:"Apesar do crescimento económico, África é um continente cujas crises geram um grande número de refugiados"

    Saber mais

  • Convidado

    Estatuto dos refugiados Angolanos em debate

    Saber mais

  • Vida em França

    Há Angolanos no meio dos refugiados em França

    Saber mais

  • Refugiados moçambicanos são transferidos devido à seca no Malawi

    Saber mais

  • Líbia

    Cerca de 60 milhões de Refugiados sobretudo na Ásia e África

    Saber mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
As emissões
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.