Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/04 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 14/04 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/04 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/04 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/04 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 14/04 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/04 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/04 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/04 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 14/04 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/04 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/04 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/04 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 14/04 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/04 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/04 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.

“Era Angola”, fantasmas da guerra em fotografia

“Era Angola”, fantasmas da guerra em fotografia
 
Fotografia extraída do livro "Era Angola" de Jean-Charles Gutner. Jean-Charles Gutner

Entre 1993 e 1995, o fotojornalista francês Jean-Charles Gutner esteve em Angola e recolheu centenas de imagens da guerra civil. Desse baú de memórias, escolheu algumas dezenas que publicou, em França, no livro intitulado “Era Angola”.

Jean-Charles Gutner escapou várias vezes à morte, em Angola, entre 1993 e 1995, quando fotografava a guerra civil para as agências France Presse e Associated Press."Um branco como eu, deste tamanho, no meio da selva, com soldados africanos, é logo o primeiro alvo", contou.

Mais de 20 anos depois, o antigo repórter de guerra, que cobriu vários conflitos internacionais, decidiu publicar imagens de Angola, em ano de eleições gerais.

"Eu não sei se Angola está interessada em falar novamente da história. Achei interessante que a nova geração tivesse oportunidade de ver a história contemporânea de Angola, ver pelo que passou o país e onde está agora", continuou.

Da guerra, Gutner mostra a morte de frente: há corpos de soldados caídos no chão… há um cemitério de covas abertas na terra vermelha com uma caveira em primeiro plano.

Da guerra mostra também sorrisos de militares e de crianças-soldado a exibirem as suas armas e o desânimo de quem carrega a farda como um fardo, espingarda escondida no braço direito e guitarra acústica no braço esquerdo.

O livro "Era Angola" está a ser distribuído em França pela Fnac e pode ser comprado pela internet através dos “sites” da Amazon, e-Bay e Fnac.


Sobre o mesmo assunto

  • Artes

    O Sopro de Tiago Rodrigues em Avignon

    Saber mais

  • Artes

    Graça Morais : "As obras nascem de coisas simples"

    Saber mais

  • Artes

    Dupla portuguesa “Borderlovers” expõe em Paris

    Saber mais

  • Artes

    Nú Barreto: "Estados Desunidos de África" nos EUA

    Saber mais

  • Recordes em catadupa para

    Recordes em catadupa para "A Guerra dos Tronos"

    Um fenómeno planetário, a série televisiva de todos os superlativos, de todos os prémios !Falamos, obviamente, da "Guerra dos tronos", "Game of thrones" na sua versão …

  • Nástio Mosquito, artista angolano e o engajamento na Arte

    Nástio Mosquito, artista angolano e o engajamento na Arte

    No nosso Magazine Artes, uma conversa entre o nosso correspondente, na capital portuguesa, Luis Guita com o artista multimédia angolano, Nástio Mosquito, que partilhou …

  • Modelos negros representados no Museu d'Orsay

    Modelos negros representados no Museu d'Orsay

    "O modelo negro de Géricault a Matisse" cruza história da arte e história das ideias, questiona problemáticas estéticas, mas também políticas, sociais e raciais.O Museu …

  • “Fado in Paris”: Um festival só de Fado em França

    “Fado in Paris”: Um festival só de Fado em França

    A primeira edição do festival “Fado in Paris” vai realizar-se a 6 e 7 de Abril na centenária sala de espectáculos Le Trianon. O objectivo é revelar novos nomes do Fado. …

  • Os imaginários de Binelde Hyrcan projectados em Paris

    Os imaginários de Binelde Hyrcan projectados em Paris

    O pintor e videasta angolano Binelde Hyrcan foi o convidado desta semana no ciclo "prospectiva cinema" no Centro Nacional de Arte e Cultura Georges Pompidou. Às projecções …

  •  Bluey e a arte de Incognito

    Bluey e a arte de Incognito

    Jean-Paul Maunick, cujo nome artístico é " Bluey", co-fundou com Paul "Tubbs" Williams em 1979 a banda Incognito, inserida na então corrente musical " Acid Jazz", emergida …

  • “Campo”: Um “Documensaio” português no Cinéma du Réel

    “Campo”: Um “Documensaio” português no Cinéma du Réel

    O filme “Campo”, do realizador português Tiago Hespanha, esteve em destaque no Cinéma du Réel, o Festival Internacional do Filme Documentário, em Paris, que termina este …

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
As emissões
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.