Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 10/12 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 14/12 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/12 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 10/12 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 13/12 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/12 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 10/12 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 13/12 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/12 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 10/12 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 13/12 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/12 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Angola: refugiados da RDC transferidos para Lóvua

media Mapa das destruições e abusos segundo levantamento da ONU no Cassai, na RDC. Fonte : ONU/HCR

Angola começou hoje a transferir para a campo do Lóvua os mais de 30 000 refugiados provenientes da República democrática do Congo alojados provisoriamente em dois campos na Lunda Norte.

Os mais de 30 000 refugiados provenientes do Cassai, no antigo Zaire, começam a ser transferidos para um campo tido como oferecendo melhores condições do que os dois actuais recintos na cidade do Dundo, estes previstos na base para acolher feiras e mercados.

Segundo o Jornal de Angola o processo começou com o repatriamento dos refugiados do campo de Mussungue, que conta quase 3 000 refugiados.

A evacuação do campo de Cacanda que acolhe quase outros 30 000 deve ter lugar para a semana.

O campo de Lóvua, na província angolana nortenha de Lunda Norte, teria capacidade para acolher 50 000 pessoas dispondo de 800 tendas, mais de 13 furos de água potável e 148 latrinas numa primeira fase.

Ele situa-se a cerca de 90 kms da cidade do Dundo, a cerca de 50 kms da fronteira entre Angola e a República Democrática do Congo (RDC).

Estes afluíriam a território angolano desde o mês de Abril na sequência da violência que se abateu sobre o Cassai (ou Kasai), na RDC.

Uma região palco de massacres étnicos há vários meses, com em pano de fundo a contestação de chefes tradicionais locais ao poder central.

Um relatório da semana passada do Alto comissariado dos direitos humanos da ONU sobre os massacres étnicos no Cassai fez um levantamento de 251 pessoas mortas, incluindo 62 crianças, no centro da RDC, em actos perpetrados entre Março e Junho passado por agentes do Estado, milícias ou rebeldes.

Margarida Loureiro, oficial de protecção do ACNUR, Alto comissariado das Nações Unidas para os refugiados, descreve a Neidy Ribeiro quais as condições criadas para acolher estas pessoas que responderiam às normas internacionais.

Margarida Loureiro, oficial de protecção do ACNUR 08/08/2017 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.