Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 25/06 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 23/06 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 25/06 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 23/06 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 25/06 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 23/06 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 25/06 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 23/06 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Angola: Comissão eleitoral rejeita suspeitas da oposição

media Apuramento da votação em Angola. AFP

O presidente da Comissão nacional eleitoral angolana, André da Silva Neto, rejeitou qualquer repetição do apuramento provincial dos votos encerrado a 30 de Agosto e alega que a oposição está de má fé ao denunciar a suposta inconstitucionalidade do processo.

André da Silva Neto, presidente da CNE, Comissão nacional eleitoral de Angola, reagia em conferência de imprensa esta segunda-feira em Luanda ao posicionamento da UNITA, CASA-CE, PRS e FNLA deste fim de semana.

Os partidos da oposição que disputaram o escrutínio de 23 de Agosto, à excepção do APN, denunciaram irregularidades ao longo do processo eleitoral que qualificaram como "inconstitucional".

As quatro forças políticas reclamaram um novo escrutínio provincial com base na lei e na Constituição da República de Angola.

Estes três partidos e uma coligação propuseram a criação de uma Comissão de Bons Ofícios de Sociedade Civil e das Igrejas para averiguar a veracidade dos factos e aferir a justeza do processo eleitoral.

O colectivo em causa referia-se a uma série de irregularidades, incluindo o desaparecimento de urnas e também de outras que teriam aparecido ao longo do apuramento dos votos.

O presidente da CNE afirmou serem "descabidas" tais declarações e que estas não foram provadas ou denunciadas atempadamente pelos partidos envolvidos no pleito.

Silva Neto lembrou que só o Tribunal constitucional tem competência em Angola para avaliar da constitucionalidade dos actos da CNE.

Este insurgiu-se contra "pretensões de arranjos políticos visando a criação de órgãos 'ad hoc' de direcção do país fora do quadro legal e constitucional, para dirimir pretensos conflitos eleitorais".

Sem fazer qualquer referência explícita à invalidação na sexta-feira pelo Supremo Tribunal queniano das eleições, nesse país, por irregularidades, Silva Neto afirmou que a CNE "repudia qualquer paralelismo (...) que os subscritores pretendem estabelecer com o processo eleitoral em curso".

O presidente da Comissão eleitoral angolana apelou aos eleitores e à população angolana em geral a manter a "serenidade e a calma" e a que esta repudie "veementemente declarações e quaisquer outros comportamentos que atentem contra a estabilidade do processo eleitoral".

A CNE deve anunciar, o mais tardar até esta quarta-feira 6 de Setembro, os resultados definitivos das eleições de 23 de Agosto.

De acordo com os resultados provisórios já anunciados, e descartados por estas quatro forças da oposição, o MPLA, partido no poder, tinha ganho o escrutínio com maioria absoluta obtendo mais de 61% dos votos.

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.