Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 10/12 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 12/12 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/12 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 10/12 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 12/12 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/12 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 10/12 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 12/12 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/12 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 10/12 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 12/12 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/12 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

João Lourenço abre ano agrícola no Huambo

media Abertura oficial do ano agrícola 2017/2018 em Angola. pixnio.com

Abertura oficial do ano agrícola 2017/2018, num momento em que a palavra de ordem em Angola é aumentar a produção interna para substituição as importações. Para Didier Péclard a falta de investimento no sector agrícola, a falta de acesso à terra e a insegurança alimentar são potenciais fontes de conflitos locais em Angola.

O presidente de Angola João Lourenço deslocou-se, esta quarta-feira, ao município do Cachiungo, província do Huambo, para as cerimónias oficiais de abertura do ano agrícola.

Angola quer aumentar a produção interna para substituir as importações, com o objectivo de promover a segurança alimentar e impulsionar o desenvolvimento económico-social.

Para Didier Péclard, professor e investigador do Departamento de Ciência Política e Relações Internacionais da Universidade de Genebra, em Angola, “não houve uma reforma agrária desde a independência do país”, a questão da propriedade e do acesso à terra ainda são muito delicadas. O pouco que o regime investiu foi em grandes projectos, que mobilizam milhões, mas que em termos de produtividade são fracos.

Didier Péclard sublinha que a falta de investimento no sector agrícola agricultura, a falta de acesso à terra e a insegurança alimentar são potenciais fontes de conflitos locais em Angola.

Didier Péclard, investigador da Universidade de Genebra 11/10/2017 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.