Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 25/06 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 23/06 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 23/06 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 25/06 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 23/06 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 25/06 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 23/06 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 24/06 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/06 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Angola: 29 activistas detidos em Cabinda

media Cabinda, Angola ISSOUF SANOGO / AFP

Em Angola, 29 activistas foram detidos em Cabinda, quando se organizavam para iniciar um protesto contra a violações de direitos humanos e a degradação social no território.

29 activistas foram detidos em Cabinda, quando se organizavam para iniciar um protesto contra as violações de direitos humanos e a degradação social no território.

Esta manifestação era o primeiro teste à tolerância do novo Presidente angolano João Lourenço.

A manifestação tinha sido convocada pela Associação para o Desenvolvimento da Cultura dos Direitos Humanos em Cabinda, para exigir o fim da "impunidade, assassínios, desemprego, prisões arbitrárias, perseguições e degradação social".

De acordo com Alexandre Kuanga, coordenador da Associação para o Desenvolvimento da Cultura dos Direitos Humanos em Cabinda e porta-voz da marcha, a manifestação não tinha sido proibida.

Avelino Miguel, correspondente em Luanda 17/12/2017 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.