Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 18/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 18/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 17/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 17/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Baixar o preço do crude seria desastroso para Angola

media Sede da Sonangol, em Luanda (imagem de ilustração). REUTERS/Siphiwe Sibeko/File Photo

O Secretário – geral da Organização dos Países Produtores de Petróleo (OPEP), Mohamed Sanuzi Barkindo, chegado ontem a Luanda, iniciou hoje uma visita de trabalho a Angola. Durante dois dias, avistar-se-á com dirigentes angolanos, e efectuará visitas a várias instalações e empresas petrolíferas. Visto que Angola é membro da OPEP, Mohammad Barkindo tem como objectivo principal "auscultar" as autoridades angolanas deste sector, depois da recente decisão da OPEP de baixar a produção petrolífera dos países - membros, para estabilizar os mercados. Mas, baixar a sua produção custará muito caro a Angola. 
 

A recente decisão da Organização dos Países Produtores de Petróleo (OPEP), de baixar a produção de crude a partir de Janeiro de 2019 - para estabilizar os mercados internacionais - poderá ter consequências desastrosas para Angola.

Angola enfrenta já  uma grave crise económica e financeira, devido à queda das receitas petrolóferas, já que o preço do barril passou de mais de 100 dólares, em 2016, para 36 dólares, em apenas dois anos. O País precisa de manter, ou aumentar a sua produção, para estabilizar a sua Economia, visto que o petróleo é a sua principal fonte de receita. E é, decerto, sobre isso que vão discutir as autoridades angolanas com o Secretário-geral da OPEP.

Para o Economista angolano José Cerqueira, Angola deseja que o crude tenha uma preço elevado, mas não está em condições de baixar a sua produção. Oiça aqui :

José Cerqueira, economista angolano 17/12/2018 ouvir

 

 

 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.