Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 18/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 18/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 17/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 17/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.

Liberdade de Imprensa: Angola progrediu mas pode ainda melhorar

Liberdade de Imprensa: Angola progrediu mas pode ainda melhorar
 
De acordo com a RSF, Angola subiu 12 lugares no seu ranking anual sobre a liberdade de imprensa e situa-se actualmente no 109° lugar. RSF

Assinala-se hoje o Dia internacional da Liberdade de Imprensa, uma oportunidade para fazer um balanço sobre os principais desafios enfrentados pelos órgãos de comunicação e os jornalistas no exercício da sua profissão.

Para além de vários relatórios observarem que os jornalistas são cada vez mais alvo de violências precisamente por serem jornalistas, outro desafio tem a ver com a independência dos órgãos para os quais trabalham, ou ainda o seu estatuto legal e económico, com a sua crescente precarização.

No seu relatório divulgado neste mês de Abril, a RSF-Repórteres Sem Fronteiras colocou a Noruega em primeiro lugar, o pior classificado sendo o Turcomenistão, no 180° lugar. Angola que está no 109° lugar, subiu 12 lugares comparativamente a 2017, progressos que segundo a ONG ainda precisam confirmar-se nomeadamente no respeitante ao quadro legal e em termos de independência dos órgãos de comunicação social. Ao mostrar-se optimista quando aos progressos registados no seu país, a jornalista angolana Ana Margoso também se refere àquilo que pode ser melhorado.


Sobre o mesmo assunto

  • Convidado

    "Moçambique quer sufocar comunicação social privada"

    Saber mais

  • Convidado

    Reajustamentos da Comunicação Social em Angola

    Saber mais

  • Convidado

    Cabo Verde: jornalistas receiam censura

    Saber mais

  • Convidado

    Trump rejeita "notícias falsas" da CNN

    Saber mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
As emissões
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.