Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 23/08 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 24/08 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/08 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 23/08 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 24/08 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/08 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 23/08 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 24/08 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/08 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 23/08 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 24/08 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/08 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Huíla sem medicamentos para mais de 100.000 casos de sarna

media Mão infectada por sarna Youtube.com

A província da Huíla assolada pela seca e escassez de água potável, vê-se agora a braços com a peste suína africana e um surto de sarna que atinge mais de 100.000 pessoas, quando os hospitais não possuem medicamentos para tratá-la.

A província da Huíla, no sudoeste de Angola, já afectada pela seca crónica e cíclica, com grande escassez de água potável, está a braços com um surto de sarna, que atinge cerca de 100 mil pessoas em 7 dos seus 14 municípios: Gambos, Caluquembe, Caconda, Chibia, Matala, Humpata e Lubango.

Cerca de 20 mil crianças foram obrigadas a abandonar temporariamente a escola para evitar o alastramento da doença, altamente contagiosa.

O Departamento Provincial de Saúde Pública da Huíla, contactado pela RFI, afirmou ter ordens para não falar à imprensa internacional, mas admitiu na imprensa angolana, que faltam pomadas e antibióticos nos depósitos hospitalares, para combater esta epidemia de sarna.

Um alerta sobre a gravidade da situação já foi enviado ao Ministério da Saúde, pedindo uma intervenção rápida.

Augusto Samuel, delegado da Unita na Huíla 10/05/2019 ouvir

Augusto Samuel, secretário provincial da Unita na Huíla, constatou esta quinta-feira (9/5) nos Gambos, a ausência de medicamentos, afirmando que a medicina tradicional consegue paleativamente acalmar as comichões, mas não sarar a doença e confirma que muitas crianças estão fora do sistema escolar devido à sarna.

Augusto Samuel aponta o dedo às autoridades e à "falta de investimentos para fazer face ao fenómeno cíclico da seca na Huíla, para fazer face à falta de água e consequentemente de higiene, pois as pessoas são obrigadas a beber e lavar-se na mesma água que os animais domésticos e selvagens, o que facilita a transmissão de doenças infecciosas".

A sarna ou escabiose é uma infecção cutânea causada pelo parasita Sarcoptes Scabiei que ocorre em seres humanos e outros animais, causando comichões alérgicas muito fortes, doença altamente contagiosa que se transmite através do contacto directo com um infectado.

Sarampo na Lunda Sul

Na província da Lunda Sul, no nordeste de Angola, um surto de sarampo já provocou 48 óbitos, em 1300 casos dignosticados e 100 crianças hospitalizadas, na sua maioria em Saurimo, onde desde a segunda semana de Abril foram vacinadas 14 mil crianças.

As autoridades sanitárias já enviaram uma equipa de médicos, enfermeiros e técnicos, que a partir do próximo fim-de-semana (11 e 12/05) e durante dez dias vai identificar as crianças ainda não imunizadas contra o sarampo e vacinar 103.062 crianças com idades até aos 14 anos.

José da Cunha, secretário de Estado para a Saúde Pública, alertou esta quinta-feira (9/05) em Saurimo os pais e encarregados de educação a evitarem a cura do sarampo pela medicina tradicional, sob pena de agravarem o quadro clínico dos pacientes.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.