Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Angola investe nos municípios

media Presidente de Angola, João Lourenço. AMPE ROGERIO / AFP

O Presidente João Lourenço lançou, hoje, o Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), num valor equivalente a 2.000 milhões de dólares, recursos provenientes do dinheiro recuperado do Fundo Soberano de Angola (FSDEA).

João Lourenço considera que o PIIM representa “um significativo passo em frente no processo de desconcentração e descentralização administrativas, assumido pelo governo como um desafio incontornável da Reforma do Estado”.

 

O presidente angolano adiantou que a verba necessária para que o PIIM se torne exequível, até 2022, é “equivalente a dois mil milhões de dólares norte-americanos”.

 

Estes recursos foram recuperados, pelo governo, do FSDEA que “paradoxalmente, embora sendo propriedade do Estado Angolano, o Estado angolano não tinha o controlo dos mesmos, mas que, felizmente, e recentemente, conseguimos recuperá-los”, colocando, desta forma, o Fundo Soberano ao serviço dos angolanos, adiantou João Lourenço.

 

O Chefe de Estado de Angola diz que o “plano será executado sem o recurso ao endividamento público para investir em sectores importantes da vida dos cidadãos, nomeadamente, na educação, saúde, segurança pública, saneamento básico, energia, água, entre outros domínios importantes”.

 

Oiça aqui as declarações do Presidente de Angola, João Lourenço:

 

João Lourenço, Presidente de Angola 27/06/2019 ouvir
Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.