Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 16/08 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 18/08 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/08 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 16/08 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 18/08 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/08 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 16/08 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 18/08 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/08 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 16/08 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 18/08 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/08 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/08 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Festikongo arranca em Angola

media Mbanza Congo é património mundial da humanidade na UNESCO desde 2017. rfi/Daniel Frederico

Festikongo, que visa celebrar o segundo aniversário da distinção da cidade de Mbanza Kongo como património da Humanidade, quer vir a "fomentar um desenvolvimento sustentável para as populações da região". 

Arranca esta sexta-feira, em Mbanza Congo, norte de Angola, o Festikongo, a primeira edição do Festival internacional da cultura e das artes Kongo.

O evento coincide com a elevação da capital da província do Zaire a património mundial da Unesco a 8 de Julho de 2017. Uma inscrição do Centro Histórico que levou precisamente a que a organização internacional fizesse uma série de recomendações, nomeadamente a da realização deste evento.

É, por isso, que  merece, um grande investimento e atenção por parte das autoridades angolanas. O próprio vice-presidente de Angola, Bornito de Sousa, que presidiu à abertura do certame, disse mesmo pretender igualar, por exemplo, o Festival Internacional de Harare, o que possibilitará "fomentar um desenvolvimento sustentável para as populações da região".

Bornito de Sousa, vice-presidente de Angola 05/07/2019 ouvir

O evento conta com a participação de diversas entidades culturais, não só de Angola, como também do Congo Brazzaville, República Democrática do Congo e do Gabão, territórios que integravam o antigo Reino do Congo.

Segundo o Ministério do Interior angolano, estão no terreno 2 600 agentes que vão facilitar a entrada das comitivas artísticas e garantir a segurança do evento. 

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.