Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 23/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 20/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 20/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 23/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 20/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 22/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 22/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 20/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

José Eduardo dos Santos citado em caso de corrupção

media José Eduardo dos Santos, durante uma conferência de imprensa na sede da sua fundação FESA, Luanda, 21 de Novembro de 2018. AMPE ROGÉRIO/LUSA

O antigo chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, foi citado por dois dos seus antigos colaboradores como tendo autorizado o desvio dos fundos do Conselho Nacional de Carregadores para beneficiar empresas particulares.

De acordo com a Voz da América, o nome de José Eduardo dos Santos foi citado durante o depoimento do antigo ministro dos Transportes de Angola. André Luís Brandão afirmou que o ex-chefe de Estado autorizou a participação dos 10% do órgão no Banco de Negócios Internacional.

Também o líder da Fundação Eduardo dos Santos, Ismael Diogo, declarou que a injecção de capitais nas empresas ASGM e CIMMA foram autorizadas pelo antigo Presidente da República.

Estas declarações foram proferidas no Supremo Tribunal de Angola durante o julgamento do ex-ministro dos Transportes, Augusto Tomás, detido desde Setembro, acusado de seis crimes, incluindo peculato, abuso de poder e branqueamento de capitais.

Trata-se da primeira vez que um antigo Chefe de Estado angolano é citado em casos de corrupção enquanto esteve no poder, 1979 até 2017.

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.