Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 22/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 20/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 22/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 20/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 22/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 20/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 22/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Angola

Seca e fome em Angola, multiplicam-se apelos de ajuda

media  
A fome e a seca que estão a assolar o sul de Angola. REUTERS

Em Angola, a seca e a fome no centro e sul afecta cerca de dois milhões de pessoas e matam, pelo menos, cinco crianças por dia. Organizações não-governamentais pedem ao Governo que declare estado de emergência para evitar uma catástrofe humanitária.

A fome e a seca que estão a assolar o sul de Angola estão a tomar dimensões assustadoras. Há o registo de, pelo menos, a morte de cinco crianças por dia e milhares de pessoas sobrevivem alimentando-se de ervas e frutos silvestres.

A ong Friends of Angola e a Associação Construindo Comunidades instam Luanda a declarar estado de emergência para permitir a canalização de ajuda internacional. O apelo é reiterado pela UNITA, maior partido da oposição.

As províncias mais afectadas são o Cunene, Namibe, Kuando Kubango, Huila e Benguela. Milhares de pessoas estão a abandonar as suas aldeias para procurar água e alimentos. Acresce-se o registo da morte de animais por falta de pastagens.

Os 200 milhões de dólares disponibilizados pelo Governo angolano para minimizar os efeitos da seca, não são suficientes para as necessidades destas populações que sempre viveram da agricultura e criação de gado.

Cerca de dois milhões de pessoas são afectados pela seca no centro e sul de Angola.

Com a colaboração de Avelino Miguel, correspondente em Luanda.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.