Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 22/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 20/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 22/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 20/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 22/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 20/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 22/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Brasil

Deputado brasileiro refugia-se na Alemanha

media O ex-deputado brasileiro Jean Wyllys (PSOL) durante conferência de imprensa nesta segunda-feira (18) na capital alemã. Márcio Damasceno

Jean Wyllys, ex deputado do PSOL, partido de extrema esquerda brasileiro, instalou-se em Berlim onde pretende efectuar um doutoramento. No mês passado ele anunciou que devido a ameaças de morte deixava de assumir o seu lugar no parlamento e se radicava no estrangeiro.

O antigo deputado brasileiro deu uma conferência de imprensa nesta segunda-feira em Berlim confirmando que se pretendia radicar na capital alemã onde por ora viveria com a ajuda de amigos, estando à procura de lugar para residir.

Jean Wyllys tinha já sido visto em público em Berlim na sexta-feira passada, à margem de uma sessão de um filme brasileiro, Marighella, no Festival de cinema da capital da Alemanha.

Não obstante ter recebido uma proposta francesa para obter o estatuto de asilo político Wyllys alega declinar tal cenário, dizendo que o estatuto de "estudante ou de pesquisador" lhe parece preferível.

O também activista da causa das minorias sexuais alega que o "recado político que teria que ser dado já foi dado".

Ele alega ter-se tratado de "um acto de preservação da minha vida e protecção da minha família".

Wyllis alega estar ainda "emocionalmente muito afectado pelo que aconteceu" pelo que por ora precisaria de "assentar na vida".

O ex deputado promete continuar a defender o que qualificou de regresso da democracia ao Brasil.

Prometeu falar em nome dos 40 milhões que votaram contra Bolsonaro bem como dos que não foram votar nele.

Referindo-se ao actual presidente brasileiro como "sujeito" Wyllys alega que o actual chefe de Estado "não foi maioria".

Bolsonaro que comemorou nas redes sociais a partida do Brasil de Wyllys, bem como o seu filho, pelo que o ex deputado frisou tal ser "o nível do presidente do Brasil".

O ex parlamentar brasileiro criticou a política do ministro da justiça Sérgio Moro "que quer legalizar o que a polícia brasileira já faz todos os dias que é matar pessoas." Wyllys rematou que a polícia do seu país seria "campeã" de assassínios "de pobres e pretos".

Ouça aqui um extracto da conferência de imprensa de Jean Wyllys.

Jean Wyllys, ex deputado brasileiro do PSOL, registo recolhido em Berlim por Márcio Damasceno 18/02/2019 ouvir
Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.