Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 20/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Cabo Verde

Banif: Que consequências para o BCN de Cabo Verde?

media O banco português Banif está numa situação delicada publico.pt

O banco português Banif encontra-se numa situação delicada e até se equaciona a sua liquidação numa altura em que está em curso o seu processo de venda. O futuro do Banco Cabo-verdiano de Negócios (BCN), de que é accionista maioritário, está ligado ao seu, mas até que ponto?

O Banif sofreu esta semana uma forte desvalorização bolsista face ao longo atraso no pagamento da sua dívida ao Estado português e às pressões de Bruxelas no sentido da venda da participação estatal que deveria ocorrer antes do final do ano.

O Banif, que desde 2007 é accionista maioritário do BCN, foi resgatado em 2012 com uma injecção por parte do Estado português de 700 milhões de euros de capital e um empréstimo obrigacionista de 400 milhões. Destas obrigações, o Banif ainda deve 125 milhões que devia ter reembolsado até 31 de dezembro de 2014 e fez depender o seu reembolso dos encaixes de capital decorrentes da venda de filiais internacionais, entre as quais a cabo-verdiana.

Mau grado os seus mais recentes esforços de capitalização, a instituição bancária portuguesa não conseguiu alienar, entre outros, o BCN e atingir os níveis regulamentares de capitalização. A forte desvalorização bolsista reflecte os receios quanto ao futuro do Banif.

Se não for vendida a participação do Estado português, será necessária mais uma injecção de capital para evitar a resolução do banco pelo Banco Central Europeu no âmbito da União Bancária. O fecho de portas não está assim afastado, o que poderá ter consequências para o BCN.

Paulino Dias, empresário e membro da Associação dos Jovens Empresários de Cabo Verde (AJEC), considera que a situação do Banif tem um impacto limitado na banca cabo-verdiana e, em particular, no BCN.

Impacto na banca cabo-verdiana 16/12/2015 ouvir

O Banif tem tentado recapitalizar-se e reforçar a sua situação financeira através da venda de participações, nomeadamente em filiais internacionais, entre as quais a filial cabo verdiana, o BCN, que até agora ainda não conseguiu vender.O antigo presidente da AJEC aponta para o acréscimo de dificuldade no já complicado processo de venda do BCN.

Consequências para a venda do BCN 16/12/2015 ouvir

Paulino Dias refere ainda o leque de eventuais compradores do quarto banco cabo-verdiano.

Eventuais compradores 16/12/2015 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.