Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Cabo Verde

Enfermeiros deixam de exercer tarefas de médicos em Luanda

media Enfermeiros fazem greve em Luanda, porque não recebem subsídios, pelo trabalho de médicos praticado FLORENCE PANOUSSIAN / AFP

Angola, os enfermeiros angolanos de hospitais de Luanda, deixaram de fazer, a partir desta quinta-feira, tarefas da competência de médicos, como consultas e prescrição de medicamentos a doentes. O sindicato dos enfermeiros angolanos alega que os enfermeiros não recebem subsídios previstos num acordo assinado com as autoridades sanitárias.

Enfermeiras e enfermeiros dos hospitais e do centro de saúde da província de Luanda, deixaram de praticar, a partir desta quinta-feira, 30 de novembro, sexta funções da competência de médicos, como dar consultar e prescrever medicamentos a doentes.

O sindicato de enfermeiros de Luanda, alegou, que tal decisão, tem a ver com o não cumprimento de um acordo, assinado, em 2012, por parte das autoridades sanitárias, que estipula, o pagamento de subsídios aos enfermeiros, pelas funções de médicos que desempenham.

Os enfermeiros desempenham essas funções médicas devido à penúria de médicos nos hospitais, não apenas da província, mas em todo o país.

Com a decisão dos enfermeiros os pacientes dos hospitais e centro de saúde de Luanda, ficam penalizados, tanto mais, que a situação geral da saúde, em Angola, já é muito grave.

De Luanda, o nosso correspondente, Avelino Miguel.

Avelino Miguel, correspondente em Luanda 30/11/2017 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.