Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 18/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 18/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 18/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 18/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Artigo

Banco Central Europeu mantém taxa básica de juros a 0,75%

media Sede do Banco Central Europeu em Frankfurt na Alemanha. REUTERS/Alex Domanski/Files

Apesar da recessão e do desemprego recorde na zona do euro, o Banco Central Europeu (BCE) decidiu, por unanimidade, manter sua taxa básica de juros a 0,75%, mais baixo nível histórico, estabelecido em julho de 2012. A decisão não surpreendeu os observadores, ainda que alguns esperassem que a crise econômica exigia uma flexibilização da política monetária da instituição baseada em Frankfurt, na Alemanha.

De acordo com o presidente do banco, Mario Draghi, a unanimidade foi motivada por uma "significativa melhora das condições dos mercados financeiros e pela estabilização geral de alguns indicadores de conjuntura". De fato, os últimos indicadores publicados mostram alguma estabilização econômica, conforme as taxas de empréstimo dos países mais afetados da região cresceram por meio de um programa de recompra de títulos soberanos da dívida.

Além de achar que uma redução da taxa não teria efeito significativo sobre o crédito e o crescimento, o BCE pretende guardar munição para o caso de a conjuntura se degradar bruscamente, estima Carsten Brzeski, economista do banco ING. Embora autoridades europeias, como o presidente francês François Hollande e o ministro alemão das finanças, Wolfgang Schäulbe, considerem que o pior da crise já passou, o BCE prefere agir de forma cautelosa.

Como a decisão não surpreende, a expectativa dos analistas são as indicações que Mario Draghi pode dar sobre o futuro da política monetária da instituição. Mas, "particularmente, não temos muita esperança", afirma Jonathan Loynes da Capital Economics.
 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.