Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Artigo

Banco central dos EUA encerra programa de ajuda para retomada econômica

media A presidente do banco central norte-americano, Janet Yellen, votou a favor do fim do programa de compra de títulos. REUTERS/Gary Cameron

Apesar da recente volatilidade do mercado financeiro, o Federal Reserve (FED - Banco Central dos Estados Unidos), anunciou nesta quarta-feira (29) que vai encerrar seu programa de compra de títulos, vista como uma iniciativa de apoio para a retomada econômica norte-americana desde a crise de 2009. A instituição também pretende manter as taxas de juros baixas.

A medida é um sinal de confiança de que a recuperação econômica do país vai continuar, apesar da desaceleração registrada na economia global. O Comitê monetário da FED (FOMC, na sigla em inglês), justifica sua decisão em partes por causa dos “sólidos ganhos” registrados no mercado do trabalho nos Estados Unidos.

Nos últimos dois anos o Banco Central norte-americano injetaram cerca de US$ 1,6 trilhões (R$ 3,9 trilhões) no sistema financeiro por meio da compra de títulos. Mas o programa já havia sido reduzido progressivamente a US$ 15 bilhões (R$ 36 bilhões) mensais.

A FED também garantiu que vai manter as taxas de juros do país baixas (próximas de zero) durante um período “considerável”. Mas a instituição alerta : se os resultados positivos em termos de controle da inflação e de luta contra o desemprego forem mais rápidos, uma primeira alta das taxas de juros “poderá ser imposta mais cedo do que o previsto”.

Os analistas apostam que a primeira alta poderia ser registrada até junho de 2015. Os juros estão sendo mantidos próximos de zero desde o final de 2008.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.