Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Artigo

Representantes de 80 países lembram cem anos da 1ª Guerra Mundial em Liège

media As comemorações do centenário da I Guerra Mundial continuam na Bélgica, presidida pelo rei Filipe (2° a esquerda), Rainha Mathilde, o príncipe William e sua esposa Kate. REUTERS/Laurent Dubrule

Representantes de mais de 80 países estão reunidos em Liège nesta segunda-feira (4) para comemorar os 100 anos da Primeira Guerra Mundial e lembrar a invasão da Bélgica pelas tropas alemãs, no dia 4 de agosto de 1914. Um forte esquema de segurança foi montado em Liège para receber chefes de estado e outras personalidades, como o príncipe William e Kate, que presidem a cerimônia ao lado do rei belga Philippe e da rainha Mathilde.

Além do novo rei da Espanha, Felipe VI, o princípe William e sua mulher, Kate, também estarão presentes, além do presidente francês, François Hollande e o alemão, Joachim Gauck. Os chefes de estado da Áustria, Armênia, Irlanda, Sérvia, Montenegro, Romênia, Bulgária e Albânia também marcam presença na cerimônia. No total, 23 países que participaram da Primeira Guerra foram convidados para a comemoração.

Os convidados foram recebidos às 9h no bairro militar de Saint-Laurent pelo rei Philippe e sua esposa, Mathilde. As delegações estrangeiras se reunirão no Memorial de Coitne, símbolo do reconhecimento dos aliados pela resistência dos belgas à invasão alemã em 1914.

Na ocasião, um discurso será pronunciado pelo rei Philippe, o presidente francês, o alemão e o príncipe William. Para lembrar a atuação heróica dos belgas, estão previstos 12 tiros de canhão.

Em seguida, um almoço será servido no palácio. Uma segunda cerimônia franco-belga, na parte da tarde, vai comemorar a entrega da Legião de Honra francesa à cidade de Liège no dia 7 de agosto de 1914, três dias depois da invasão do território pela Alemanha.

Apesar de ter caído nas mãos dos alemães em 16 de agosto, a resistência belga retardou o avanço das tropas inimigas.

William e Kate participam de cerimônia com premiê britânico

O princípe William e Kate participarão de uma cerimônia no cemitério de Saint-Symphorien, onde se encontram com o primeiro-ministro David Cameron e o princípe Harry. No local, está enterrado o primeiro soldado britânico morto durante a Guerra e o último, assassinado em 11 de novembro de 1918, dia do Armistício que colocou fim ao conflito.

População está frustrada

O rei belga e sua esposa farão todo o trajeto na cidade de carro e não terão nenhum contato com a população. Os caminhos que serão usados durante o cortejo foram bloqueados durante o fim de semana e todos os veículos foram retirados. Cerca de 650 policiais foram mobilizados e atiradores de elite estarão a postos, além de dois helicópteros. As placas dos carros serão fiscalizadas.

Cerca de 6500 civis morreram durante a Primeira Guerra Mundial na Bélgica, que era considerado território neutro.
 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.