Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 16/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 13/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 16/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 13/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 16/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 13/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 16/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 13/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
França

Candidato socialista teria chamado Sarkozy de "um cara sujo"

media O candidato socialista às eleições presidenciais francesas, François Hollande, estaria imitando Sarkozy quando fez as declarações. REUTERS/Stephane Mahe

A disputa eleitoral francesa ganhou contornos de troca de farpas nesta quarta-feira, depois de o jornal Le Parisien publicar que o candidato socialista, François Hollande, chamou o presidente Nicolas Sarkozy de "um cara sujo". Indignados, os aliados de Sarkozy aproveitaram o termo para condenar o favorito da esquerda nas pesquisas presidenciais e exigir desculpas públicas dele antes mesmo de os comentários serem esclarecidos.

Dominique Dord, tesoureiro do partido UMP, de Sarkozy, descreveu o comentário como "revoltante" e disse que Hollande deveria deixar a disputa presidencial, a menos de quatro meses da eleição. "Estamos todos profundamente chocados", disse o líder do partido UMP, Jean-François Copé. "Essa não é a postura esperada de um candidato presidencial", disse a ministra do governo Nadine Morado, ministra de Sarkozy e outra membro do UMP que atacou o suposto comentário. "Eu exijo uma desculpa pública."

O furor foi provocado por uma citação ambígua em uma matéria do Parisien, onde o autor descrevia uma conversa durante um almoço “em off” com Hollande, no qual ele teria começado a imitar Sarkozy e dito: “Eu sou um presidente fracassado, eu sou um sale mec” - que pode ser traduzido como "um cara sujo" ou "um tipo indecente". O objetivo do socialista era dizer que, apesar destes predicados, Sarkozy quer se apresentar como a melhor opção para a França. “Mas neste período difícil, eu sou o único competente, eu tenho coragem”, teria dito Hollande, se fazendo passar pelo presidente.

Nestas reuniões, não-oficiais, diversos jornalistas são convidados para conversar com uma fonte importante, cujas identidade e declarações não devem ser publicadas. Na reportagem publicada hoje, sobre a retomada da campanha de Hollande após o recesso das festas de fim de ano, as frases apareciam em um parágrafo sobre a opinião do socialista a respeito do atual presidente.

Autoridades do Partido Socialista disseram à Reuters que seu candidato presidencial não insultou o presidente diretamente durante o almoço com a imprensa e que suas palavras foram tiradas do contexto. "As declarações não foram feitas daquela maneira, nem naquele sentido", disse a porta-voz Najat Vallaud-Belkacem ao canal de notícias BFM TV. Mais tarde, o próprio Hollande afirmou que “não vai se deixar levar ou impressionar pelo que a direita quer fazer desta campanha”. “Chega destas polêmicas criadas diariamente”, desabafou. O candidato julga que “os franceses merecem mais do que a utilização incessante de frases deturpadas”.

O editor de Política do Parisien, Matthieu Croissandeau, reconheceu que Hollande “se colocou na pele de seu rival” e “imaginou a futura tática de Nicolas Sarkozy”, mas “não tratou oficialmente o chefe de Estado de ‘cara sujo’”.
 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.