Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 25/06 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 23/06 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 25/06 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 23/06 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 25/06 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 23/06 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 25/06 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 23/06 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
França

Air France investiga cumplicidade de funcionários em voo com 1 tonelada de cocaína

media O ministro do Interior, Manuel Valls, posa ao lado dos pacotes de cocaína apreendidos sábado no aeroporto Charles de Gaulle-Roissy, 21 de setembro de 2013. AFP/Kenzo Tribouillard

A companhia aérea Air France anunciou a abertura de uma investigação interna para identificar eventuais cúmplices do tráfico internacional de drogas após a apreensão recorde de 1,3 tonelada de cocaína, na última sexta-feira, no aeroporto parisiense Charles de Gaulle-Roissy num voo proveniente de Caracas. Na Venezuela, três militares foram presos e na França, seis pessoas continuam detidas.

A cocaína estava acondicionada em 31 malas que foram despachadas no aeroporto internacional Simon Bolivar, a uma hora de Caracas, sob nomes de passageiros-fantasma. A apreensão recorde da droga foi feita pela polícia francesa, no aeroporto parisiense, com o apoio de agentes antidrogas britânicos, espanhóis e holandeses.

Segundo o ministro da Justiça da Venezuela, Miguel Rodriguez, que também é diretor do serviço secreto, é "praticamente evidente" que os traficantes contaram com a cumplicidade de empregados da Air France e de autoridades militares da Venezuela.

O ministro do Interior francês, Manuel Valls, afirmou por sua vez que não é normal que um avião da Air France transporte uma tal quantidade de droga. O ministro confirmou que seis europeus estão sendo interrogados pela polícia.

A cocaína era destinada à máfia calabresa Ndrangheta e também à Grã-Bretanha. O valor da apreensão é estimado em 50 milhões de euros a preço de custo, cerca de 150 milhões de reais, 597 milhões de reais na revenda (200 milhões de euros).

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.