Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 19/11 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 17/11 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/11 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 19/11 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 17/11 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/11 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 18/11 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 17/11 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/11 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 18/11 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 17/11 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/11 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
França

COP21: Novo acordo para salvar o planeta

media François Hollande junto ao chefe da diplomacia francesa Laurent Fabius, na COP21, a 12 de Dezembro de 2015. REUTERS/Stephane Mahe

O mundo deveria aprovar ainda hoje a proposta de acordo sobre alterações climáticas na COP21 de Paris. Trata-se de um acordo histórico, tão significativo como o do Protocolo de Quioto de 1997. Fica assente o princípio de colocar o aquecimento do planeta abaixo dos dois graus centígrados.

O acordo vinculativo entraria em vigor em 2020 e implicaria a revisão da sua implementação de cinco em cinco anos.

O protocolo, alvo de uma maratona planetária desde 30 deNovembro, prevê também um financiamento climático de 100 mil milhões de dólares, com esse montante a ser aumentado a partir de 2025.

Em causa está possibilitar-se o acesso às energias renováveis aos países em vias de desenvolvimento, com uma aposta global de redução das emissões dos gases com efeito de estufa.

Na abertura dos trabalhos esta manhã o presidente francês, François Hollande, insistiu de que em Paris se tinha uma oportunidade inédita de marcar a história que importava não desperdiçar.

Laurent Fabius, o chefe da diplomacia de Paris, referiu-se ao texto como sendo "ambicioso, equilibrado e reflectindo a posição (de todas) as partes envolvidas".

Por sua vez o secretário geral da ONU, Ban Ki Moon,  agradeceu os esforços da França para viabilizar este acordo que alegou ser uma etapa em prol da segurança de todos, num planeta saudável.

Giza Martins é o director do Gabinete de alterações climáticas de Angola (país que lidera actualmente os países menos avançados).

Giza Martins é o director do Gabinete de alterações climáticas de Angola 12/12/2015 ouvir

Ele enfatiza a oportunidade única que é esta COP para uma acção universal em prol da luta contra o aquecimento do planeta, como realçado nos discursos dos presidente e chefe da diplomacia da França e do secretário-geral da ONU.

Arlindo Carvalho, Director geral do ambiente de São Tomé e Principe, realça a importância do Acordo de Paris na COP21 para o continente africano.

Arlindo Carvalho, director geral do ambiente de São Tomé e Principe, 12/12/2015 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.