Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 26/06 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 23/06 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 26/06 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 23/06 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 26/06 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 23/06 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 26/06 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 23/06 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.

Presidenciais francesas do interior e do exterior e Gabão pós-eleições

Presidenciais francesas do interior e do exterior e Gabão pós-eleições
 
Capas de magazines news franceses de 11 de março de 2017 RFI

Eleições presidenciais em França, combate entre François Fillon e Emmanuel Macron ou Gabão limpeza depois das eleições são os temas desta Imprensa semanal.

LE POINT, faz a sua capa com uma foto de François Fillon e o título O espantalho, a incrível aposta do candidato da direita. Muitos pensavam que ele já estava morto, mas eis que Fillon está de volta para o combate presidencial. Pela direita, ou vai ou racha...

Longe de pensar que a sua candidatura legitimada por 3 milhões de eleitores seria, pela primeira vez na história da quinta República, posta em causa  por um escândalo de empregos fictícios a 50 dias da primeira volta da eleição presidencial. 

Conseguirá ele manter a sua candidatura mesmo correndo o risco de fractura na sua família política?, pergunta ainda LE POINT.

Este homem é perigoso?, pergunta na mesma linha, sob uma foto de François Fillon, L'OBS. O vencedor da primária da direita pode vangloriar-se de ter conseguido o impensável durante o seu comício de domingo passado.

Conseguiu virar a mesa de pernas para o ar, organizar uma demonstração de força pacífica sem feridos nem violência, neutralizar Alain Juppé e permanecer como o único candidato possível da sua esfera política.

Sim, Fillon conseguiu dar cabo deles todos. E então? Fillon está de pé fincado no chão e a sua família política nos limbos, sublinha LO'BS.

Duas fotos legendadas Macron/Fillon, seus problemas, seus programas e suas diferenças, replica CHALLENGES. A 45 dias das eleições presidenciais, entre as duas ofertas, a volatilidade é grande. E o jogo de qualificação é no mínimo desequilibrado.

Creditado de um score de 17 a 19 por cento, François Fillon, tem um atraso de 6 a 8 pontos em relação ao favorito, Emmanuel Macron.  Mais grave para o candidato da direita, em termos de prognósticos de vitória, a sua cota cai para 13 por cento, frente a Emmanuel Macron, com 35% dos franceses a pensar que ele ganhará as eleições presidenciais, sublinha CHALLENGES.

Porque é que a imprensa britânica fala tanto de Marine Le Pen?, pergunta COURRIER INTERNATIONAL. O site de notícias Buzzfeed observa uma tendência generalizada  da imprensa britânica de direita a referir-se à candidata da Frente Nacional, mais que todos os outros candidatos. 

Os mídias pró-Brexit perpetuam na realidade um debate de política interna quando analisam a campanha francesa, nota COURRIER INTERNATIONAL.

Em relação à África, o semanário JEUNE AFRIQUE, faz a sua capa com Gabão, depois da tempestade. Desgraças e promoções recompuseram radicalmente o campo de Ali Bongo Ondimba. Na oposição, os jovens quadros preparam-se para substituir os caciques e na linha de mira, as legislativas e presidenciais.

Seis anos depois do boicote das legislativas os quarentões da oposição contam impor-se por ocasião das eleições de julho. Viveram na sombra dos líderes nos últimos 6 anos, mas consideram que chegou a hora deles.

Em 2011, boicotaram as eleições legislativas deixando nas mãos dos homens do partido no poder 114 dos 120 lugares na nova Assembleia nacional. Está fora de questão que passem mais 5 anos no purgatório, dizem os jovens de 40 a 50 anos, que querem que haja uma grande vassourada, após as eleições no Gabão.


Sobre o mesmo assunto

  • Imprensa Semanal

    França: campanha presidencial de anseios e escândalos

    Saber mais

  • Imprensa Semanal

    África, Trump e primárias socialistas em França

    Saber mais

  • Imprensa Semanal

    Da nova África, campanhas em França e Estados Unidos

    Saber mais

  • Franco CFA: Que Futuro?

    Franco CFA: Que Futuro?

    O que é que deve mudar na moeda CFA titula esta semana a Jeune Afrique. Se uns desejam abolir a moeda que apresentam como um símbolo anacrónico da colonização, outros …

  • Angola, Moçambique, Costa do Marfim e França

    Angola, Moçambique, Costa do Marfim e França

    Abrimos esta Imprensa Semanal com Angola nas páginas de LA LETTRE DU CONTINENT e a estratégia naval do presidente angolano.

  • RDC: Katumbi opositor exigente

    RDC: Katumbi opositor exigente

    Moïse Katumbi regressou à RDC e promete ser um opositor construtivo, o banco BNP Paribas retira de vários países africanos, Trump, Netanyahu e o Médio-Oriente, a contra-espionagem …

  • Angola, França e União Europeia pós-eleições europeias

    Angola, França e União Europeia pós-eleições europeias

    Abrimos esta Imprensa Semanal, com a JEUNE AFRIQUE, que traz uma entrevista exclusiva com Manuel Domingos Augusto, ministro dos negócios estrangeiros de Angola.

  • Banco Mundial,Europa e os 40 anos de Kassav

    Banco Mundial,Europa e os 40 anos de Kassav

    O Banco Mundial e a África, o jiadismo na África Ocidental, o general Salah, guardião do poder do ex-Presidente Bouteflika na Argélia,na RDC o Presidente Tshisekedi frente …

  • Eleições europeias destabilizadas pelo populismo ?

    Eleições europeias destabilizadas pelo populismo ?

    Abrimos esta Imprensa Semanal, com a JEUNE AFRIQUE, que faz a sua capa com a Tunísia e sua capital, Tunes ninho de espiões.

  • Eleições europeias: programas adaptados aos eleitores

    Eleições europeias: programas adaptados aos eleitores

    As eleições europeias e as propostas dos candidatos franceses, a emergência das cores nas séries televisivas francesas, os novos dirigentes políticos são amadores de …

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
As emissões
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.