Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 19/11 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 17/11 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/11 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 19/11 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 17/11 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/11 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 18/11 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 17/11 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/11 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 18/11 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 17/11 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/11 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
França

99° aniversário do Armistício da 1.ª Guerra mundial

media Os presidentes francês, Emmanuel Macron e alemão, Walter Steinmeier, no museu de Hartmannswillerkopf, cerimónias dos 99 anos do fim da 1a Grande Guerra mundial REUTERS/Christian Hartmann

O Presidente francês, Macron, prestou homenagem, este sábado, a Georges Clemenceau, o homem do "último quarto de hora", no quadro das comerações do 11 de novembro, 99° aniversário do Armistício da  1.ª Guerra mundial. Cerimónias que começadas ontem com um encontro entre os presidentes francês e alemão, no Eliseu, elogiando a construção europeia, que precisa duma refundação.

O chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, desejou marcar o centenário da chegada ao governo de Georges Clemenceau, em plena 1.ª Grande Guerra mundial, homenageando o "homem do último quarto de hora", decisivo do fim da Guerra de 14/18, numa cerimónia no museu consagrado ao antigo presidente do conselho e colocando uma coroa de flores frente à estátua, Pai da Vitória.

O Presidente Macron, seguiu depois para os Campos Elísios, para um momento de recolhimento junto à campa do soldado desconhecido, no Arco do Triunfo. 

Para Emmanuel Macron, Clemenceau, faz parte dos "Grandes homens a celebrar".

"Ele tem toda uma carreira que precede à carreira política, de jornalista, de homem livre, de consciência. Mas ele foi também o homem do último quarto de hora, e esse último quarto de hora era necessário", sublinhou o chefe de Estado.

Clemenceau, nomeado ministro do Interior, em 1906, que lhe valeu o cognome de "primeiro polícia de França" ou "Tigre", consagrou uma grande parte da sua carreira ao jornalismo;

Ele defendeu, nomeadamente, Alfred Dreyfus, publicando nas colunas do jornal Aurora o célebre "J'accuse" "Eu Acuso", do escritor francês Emile Zola.

Conhecido pelo seu patriotismo e pugância, ele foi chamado em novembro de 1907, pelo presidente, Raymond Poincaré, para formar o governo, como presidente do conselho, o que hoje seria primeiro-ministro.

Já ontem o presidente francês, Macron e o presidente alemão, Frank-Walter Steinmeie, tinham elogiado, no Eliseu, a construção europeia véspera deste 99° aniversário do Armistício da Primeira Guerra mundial.

"Nós partilhamos o sentimento profundo que a refundação europeia é necessária e urgente e que o ano que vem aí seja absolutamente determinante", declarou o chefe de Estado francês, Emmanuel Macron.

Os dois chefes de Estado, inauguram igualmente ontem o museu histórico franco-alemão de Hartmannswillerkopf, em Alsásia, situado na montanha de Vosges, onde ocorreu um dos combates mais sangrentos da Primeira Guerra mundial, que fez 25 000 mortos.

De notar que há 500 000 campas de soldados mortos pela França em todo o país e em 1920, dois aos depois do fim da Guerra de 14/18, a nação francesa via-se perante 1,4 milhões de mortos.

Ouça a crónica dos 99 anos da primeira Grande Guerra mundial !

João Matos sobre armistício da Primeira Guerra mundial 12/11/2017 ouvir

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.