Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 26/06 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 23/06 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 26/06 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 23/06 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 26/06 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 23/06 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 26/06 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 23/06 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
França

Coletes amarelos paralisam Ilha da Reunião, governo propõe diálogo

media Annick Girardin, ministra francesa do Ultramar à sua chegada à Ilha da Reunião 28/11/2018 RICHARD BOUHET / AFP

 

Annick Girardin, ministra francesa do Ultramar foi esta quarta-feira apupada na Ilha da Reunião, onde prometeu diálogo com os coletes azuis, que há dez dias bloqueiam esta ilha no Oceano Índico, cujo porto está paralisado.

Annick Girardin, ministra francesa do Ultramar, chegou na manhã desta quarta-feira (28/11) à Ilha da Reunião, parcialmente paralisada devido à revolta dos "coletes amarelos" contra o aumento das taxas sobre os preços do combustíveis, que desde 17 de Novembro têm realizado protestos e bloqueado vários eixos rodoviários em toda a França.

O único porto comercial da Ilha da Reunião está paralisado, o que provoca penúria de combustíveis e de bens de primeira necessidade e após 10 dias de protestos esta terça-feira (27/11) registaram-se violentos confrontos com a polícia neste território francês no Oceano Índico, onde 42% da população vive abaixo do limiar da pobreza e o desemprego atinge 26%.

Nas redes sociais surgiram apelos ao bloqueio total da ilha esta quarta-feira, para acolher a ministra Annick Girardin, que mal aterrou se dirigiu a uma barricada onde foi apupada por cerca de 2.000 "coletes amarelos".

Annick Girardin prometeu diálogo na busca de soluções para esta crise.

Annick Girardin, ministra do Ultramar 28/11/2018 ouvir

"Estou aqui durante vários dias, logo todos terão a oportunidade de falar comigo e responderei às perguntas da imprensa, estou aqui para vos dizer que ouvi, que leio aliás as vossas mensagens, que sei que a Reunião sofre há muito tempo, mas sobretudo nos últimos dez dias, ela sofre porque vocês sofrem há muitos anos, ela sofre, porque os bloqueios fazem sofrer os que continuamente buscam desenvolver este território.

Estou ao vosso lado para responder às questões do emprego, estou ao vosso lado para responder às questões da carestia de vida, porque sim, aqui a vida é cara, mas não vou encontrar as soluções sózinha, vou encontrá-las convosco, durante as horas que vou passar ao vosso lado a dialogar.

Vou a toda a Reunião, se vocês me deixarem passar, vou ao encontro de todas as municipalidades, se vocês me deixarem passar, passarei horas a discutir convosco se vocês o quiserem, mas quero dizer-vos que a Reunião é uma filha da República e essa filha da República eu amo-a como todos os outros territórios do ultramar".

Esta terça-feira (27/11) o parlamento francês aprovou uma ajuda suplementar de 130 milhões de euros de exonerações sociais, destinados a incitar as empresas do ultramar a criarem empregos.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.