Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 16/12 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 14/12 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/12 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/12 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 16/12 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 14/12 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/12 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/12 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/12 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 14/12 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/12 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/12 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 16/12 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 14/12 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/12 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/12 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.

"A marcha atrás" de Emmanuel Macron

 
Primeiras páginas dos jornais franceses 05-12-2018 RFI

"A marcha atrás" de Macron titula o esquerdista Libération. O primeiro-ministro francês ter anunciado um conjunto de medidas que suspendem aumentos de impostos. No entanto, parecem não suficientes para calmar o descontentamento dos coletes amarelos.

Em editorial, Laurent-Joffrin, descreve um momento vertiginoso; "o governo cedeu", mas esta cedência pode não chegar. O Presidente "vertical" está agora na horizontal, estendido num tapete, prossegue o Libération.

"Jupiter é agora um ser mortal entre tantos e os relâmpagos que tinha em mãos transformaram-se em faíscas irrisórias".

O anúncio da moratória que vai custar 2 mil milhões ao estado não desactivou a crise. Emmanuel Macron foi vaiado e Édouard Philippe admitiu na assembleia que vai ter de mudar "alguma coisa".

A verdade, destaca o Le Monde, é que Édouard Philippe  enfrenta sozinho este recuou de medidas defendidas durante a campanha eleitoral de Macron. O presidente que decidiu ficar longe de Paris, das câmaras, do barulho e sobretudo da contestação.


Sobre o mesmo assunto

  • Revista de Imprensa

    Governo francês cede à revolta de coletes amarelos

    Saber mais

  • Revista de Imprensa

    Macron e o descontentamento social

    Saber mais

  • Revista de Imprensa

    G20 e desconstrução do multilaterismo

    Saber mais

  • Revista de Imprensa

    Debate sobre devolução de obras de arte ao continente africano

    Saber mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
As emissões
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.