Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/07 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 14/07 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/07 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 14/07 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/07 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/07 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/07 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 14/07 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/07 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/07 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 14/07 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/07 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
França

Macron não se "imiscui" em caso judicial de Ghosn no Japão

media Macron está em visita oficial ao Japão Presidente de França mantém-se equidistância a caso judicial de Ghosn Reuters

Macron está atento aos "direitos legítimos" de Ghosn, mas não intervém no processo judicial do antigo presidente da Renault-Nissan.

O Presidente de França, Emmanuel Macron, fez questão de manter equidistânciae não se "emiscuir" no caso judicial de Carlos Ghosn, antigo presidente da Renault, que está detido no Japão, país onde o chefe de Estado se encontra em visita oficial, esta quarta-feira.

Ao lado do primeiro-ministro japonês, numa conferência de imprensa, Macron garantiu, no entanto, que França está atenta "como com todos os nacionais envolvidos em casos de justiça em qualquer parte do Mundo" para que possagarantir que os "direitos legítimos" do Ghosn sejam defendidos.

Macron fez questão ainda de reforçar a "solidez" da Renault, empresa de que, lembrou, o Estado francês é principal acionista, reafirmando o forte compromisso dos franceses na aliança com a empresa japonesa.

Carlos Ghosn, ex-presidente da Renault-Nissan, foi preso no Japão em novembro último, por suspeitas de irregularidades fiscais.

Uma auditoria interna realizada posteriormente pelo grupo a que presidia o cidado franco-brasileiro revelou uma despesa suspeita de 11 milhões de euros utilizados para fins pessoais. O caso, por exemplo, de gastos extra de viagens de avião e doações a organizações sem fins lucrativos.

Emmanuel Macron, Presidente de França 19/09/2017 ouvir
Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.