Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 15/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 13/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 15/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 13/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 15/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 13/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 15/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 13/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
França

Arte indo-portuguesa na Embaixada de Portugal em Paris

media Pedro Aguiar-Branco e Álvaro Roquette, da Galeria Álvaro Roquette & Pedro Aguiar-Branco. Embaixada de Portugal, Paris. 20 Setembro 2019. RFI/Carina Branco

Na véspera das Jornadas Europeias do Património, em que a Embaixada de Portugal em Paris abre as portas ao público, foi apresentada, esta sexta-feira, uma mostra de contadores, caixas-escritório e cofres indo-portugueses, do Japão e do Sri-Lanka do tempo da expansão portuguesa. As peças são da Galeria Álvaro Roquette & Pedro Aguiar-Branco, aberta há oito anos em Paris. 

 

Cerca de 20 contadores, cofres e caixas-escritório indo-portugueses, do Japão e do Ceilão (actual Sei Lanka) estão em exposição na Embaixada de Portugal, em Paris, por ocasião das Jornadas Europeias do Património.

O galerista Álvaro Roquette explica que se trata de “uma viagem pelas encomendas portuguesas no mundo de contadores”, com obras com mais de 400 anos. 

Há, por exemplo, dois contadores da Índia, de finais de século XVI, com representação de portugueses na marqueteria.

Há, ainda, um par de típicos contadores indo-portugueses de nagas, com figuras da mitologia hindu a representar “meias mulheres e meias serpentes”, explicou o galerista Pedro Aguiar Branco, apontando também peças do Ceilão feitas em madeira revestida a placa de tartaruga e marfim trabalhado.

Destaque, também, para obras de arte namban, do Japão, “porque os japoneses chamavam aos portugueses namban-jin” e eram peças feitas “ao gosto dos portugueses”.

Quanto ao reconhecimento em França da arte da expansão portuguesa, Álvaro Roquette explicou que a galeria tem feito “um trabalho duro, longo” porque “não eram objectos com que as pessoas estavam familiarizadas”. O trabalho tem dado frutos porque, por exemplo, o Museu Guimet, em Paris, já tem a sua primeira peça indo-portuguesa graças à galeria.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.