Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 16/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 13/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 16/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 13/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 16/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 13/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 16/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 13/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
França

Em primeiro comício, François Hollande chama militantes para "irem à luta"

media O candidato socialista às eleições presidenciais francesas, François Hollande, durante discurso desta quarta-feira na cidade de Mérignac. REUTERS/Regis Duvignau

Nesta quarta-feira, o candidato do Partido Socialista à presidência francesa, François Hollande, pronunciou um discurso combativo no primeiro comício da sua campanha eleitoral na cidade de Mérignac, sudeste da França. Hollande abordou a polêmica declaração de que teria chamado o presidente Nicolas Sarkoky de "cara desonesto".  

Em uma sala reservada, com dois telões externos para os partidários que não puderam entrar, François Hollande fez um discurso nesta quarta-feira utilizando termos bélicos, começando a campanha com um tom de quem parte para uma guerra. Ele pediu a seus partidários que participem "dessa batalha que começa aqui em Mérignac (cidade próxima a Bordeaux)", afirmando ser o candidato em "busca da história republicana e do sonho francês".

Hollande criticou bastante a direita, acusando seus rivais de "criarem caricaturas e manipulações todos os dias" ao comentar a polêmica de que teria chamado Nicolas Sarkozy de "cara desonesto". "A direita sempre tentou desacreditar os líderes de esquerda, mas ela mostrou sinais de sucesso que justifiquem tal pretensão?", indagou o candidato. 

Na sua agenda desta quinta-feira, Hollande tem um encontro com os funcionários da refinaria Petit-Couronne que estão em greve desde segunda-feira, na cidade de Caen, ameaçada de fechar as portas.

Campanha não oficial

Sarkozy ainda não oficializou sua candidatura à reeleição, mas está em plena campanha. Segundo seu porta-voz, ele pediu ontem a seus ministros que se "mobilizem até o último segundo" para "trabalhar dia e noite, sete dias por semana" a serviço dos franceses que estão enfrentando a crise econômica. Seus principais ministros têm ocupado a mídia com entrevistas em rádios e canais de TV.

Com a colaboração de Carla Tomazini para a RFI.
 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.