Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Artigo

Reino Unido estuda novas informações sobre morte de Princesa Diana

media Foto de arquivo mostra os destroços da Mercedes-Benz em que Lady Di morreu, em 31 de agosto de 1997. REUTERS/Stringer/Files

A polícia britânica informou neste fim de semana que existem novas informações sobre as mortes da princesa Diana e seu namorado, Dodi Al-Fayed, vítimas de um acidente de carro em Paris em 1997. De acordo com a mídia do Reino Unido, as novas investigações da agência especializada Scotland Yard apontam que o casal pode ter sido assassinado por tropas de elite do exército britânico.

Na tarde deste sábado, dia 17 de agosto, a polícia do Reino Unido indicou, através de um comunicado, que está estudando “informações que lhes foram recentemente comunicadas que concernem essas mortes e a avaliação da pertinência e credibilidade das mesmas”. A Scotland Yard também informou, através de um outro comunicado, que avaliação será efetuada por investigadores especializados da polícia criminal.

De acordo com o jornal inglês Daily Telegraph, as novas informações teriam sido repassadas à Scotland Yard pela polícia militar real. Os novos dados teriam vindo à tona com o recente processo de Danny Nightingale, um atirador da unidade especial do Exército britânico (SAS), reconhecido culpado por possessão ilegal de armas. Essas informações apontam que essa unidade de elite do exército seria “responsável pela morte da princesa Diana”.

Os detalhes foram obtidos pelos ex-sogros de um soldado da SAS, que era um testemunha-chave no processo de Nightingale. O casal escreveu ao comando da SAS afirmando que o militar contou para sua ex-mulher que sua unidade havia “organizado” a morte de Lady Di, em uma operação “dissimulada”.

A polícia britânica, que não se exprime sobre a veracidade dessas declarações, pondera que o caso não foi reaberto, mas as novas informações serão estudadas. No passado, o Reino Unido rebateu todas as alegações de que o acidente foi forjado e concluiu que todas as teorias de complô não tinham fundamento.

Até o momento, a família real, da qual fazem parte dois filhos de Diana, os príncipes William e Harry, não se manifestou sobre o assunto. O ministério britânico da Defesa também não fez nenhuma declaração sobre as novas informações. Já um porta-voz da família Al-Fayed disse que o pai de Dodi, Mohamed Al-Fayed declarou que está interessado em ver os resultados do estudo dos novos dados.

A reviravolta no caso da morte de Lady Di e Dodi Al-Fayed acontecem há poucos dias do 16° aniversário da tragédia, na qual também morreu o motorista Henri Paul, em 31 de agosto de 1997. O acidente de carro aconteceu na Ponte de Alma, em Paris. O único a escapar da morte foi o guarda-costas do casal, Trevor Rees-Jones.

As investigações das polícias francesa e britânica concluíram que o acidente aconteceu devido ao estado de embriaguez do motorista, que dirigia em alta velocidade, para escapar da perseguição dos paparazzi. Após uma investigação judicial que durou seis meses, os juízes da Alta Corte de Londres concluíram, em abril de 2008, que as mortes esram responsabilidade do “extremamente negligente” Henri Paul.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.