Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 23/07 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 21/07 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/07 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/07 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 23/07 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 21/07 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/07 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/07 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 23/07 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 21/07 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/07 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/07 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 23/07 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 21/07 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/07 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/07 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Artigo

Vacina contra ebola pode estar disponível em 2015, diz OMS

media Cientista faz análise de sangue contaminado com o vírus ebola. Reuters/Misha Hussain

Surge uma esperança na luta contra o avanço da epidemia de ebola. Em entrevista à RFI, o diretor do Departamento de Vacinas e Imunização da Organização Mundial da Saúde, Jean-Marie Okwo Bele, afirma que, em setembro, começará uma fase de testes clínicos de uma vacina contra o vírus. Desde o começo deste ano, mais de mil pessoas já morreram com a doença.

Testes clínicos para uma vacina preventiva contra o ebola devem ser feitos em setembro, o que pode fazer com que uma vacina para evitar a contaminação pelo vírus possa estar disponível em 2015. As declarações foram feitas pelo diretor do Departamento de Vacinas e Imunização da Organização Mundial da Saúde (OMS), Jean-Marie Okwo Bele. “Nosso objetivo é começar os testes clínicos em setembro. Primeiramente, nos Estados Unidos. E, depois, em um país africano, pois é lá onde estão os casos”, declarou.

Bele se mostrou otimista quanto ao desenvolvimento do projeto. “Se conseguirmos começar os testes em setembro, no final deste ano já teremos alguns resultados e, como estamos falando de uma urgência, se conseguirmos fazer um processo em caráter emergencial, ao longo de 2015, poderemos ter uma vacina disponível", disse à RFI.

Atualmente, cinco vacinas contra o vírus ebola estão em estudo. Nos Estados Unidos, um soro experimental – o Zmapp- tem sido aplicado em pacientes contaminados. Para o diretor do Departamento de Vacinas e Imunização da Organização Mundial da Saúde, o soro foi usado de “maneira precipitada”, mas “parece dar bons resultados”. Ele explica, porém, que, no momento, “não há em quantidade suficiente” para ser usado em doentes na África. Algumas equipes médicas também fazem testes com medicamentos antivirais. “Vemos uma grande mobilização para encontrar soluções e frear a propagação da doença”, disse.

Novas medidas

Os principais países africanos atingidos pela epidemia de ebola anunciaram hoje mais medidas de urgência para tentar conter o avanço da doença. Em Serra Leoa, cerca de 1.500 policiais e militares foram mobilizados para fazer com que a quarentena seja respeitada nas cidades de Kailahun e Kenema, no oeste do país. Na Guiné Conacri, as fronteiras terrestres com a Libéria e com Serra Leoa foram fechadas. Os três países concentram o maior número de casos. Na Nigéria, já foram registradas 13 pessoas contaminadas. O país decretou estado de emergência.

O Chade, que oficialmente não tem ainda nenhum paciente com o vírus, anunciou neste sábado a suspensão de todos os voos partindo ou chegando da Nigéria. As autoridades da Zâmbia proibiram a entreda de pessoas oriundas dos países com casos de ebola.

Fora da África, a  Índia anunciou o reforço da vigilância nos portos e em aeroportos. No Canadá, um homem com sintomas da doença foi colocado em isolamento. Ele viajou recentemente à Nigéria.

Desde o começo do ano a epidemia já deixou mais de 1000 mortos. O oeste da África é, até o momento, a principal zona atingida.

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.