Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 21/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 21/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 21/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 20/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Artigo

Onda de calor mata mais de 1,1 mil na Índia

media Homem dorme sob uma sombra em um parque de Nova Delhi. REUTERS/Anindito Mukherjee

A onda de calor que afeta a Índia há uma semana já matou mais de 1,1 mil pessoas e deve prosseguir nos próximos dias, anunciaram as autoridades do país. O sul indiano é a zona mais afetada e a que registra o maior número de vítimas, sobretudo entre os operários, os sem-teto e os idosos.

Em Andhra Pradesh, o estado mais atingido, pelo menos 900 pessoas morreram desde 18 de maio, o dobro do registrado no verão do ano passado. As autoridades instalaram vários pontos de abastecimento de água para serem usados pela população.

No Estado vizinho de Telangana, onde a temperatura atingiu 48°C no fim de semana, mais de 200 pessoas morreram em uma semana. Em 2014, 31 que faleceram pelo mesmo motivo na região.

Em Nova Délhi, a meteorologia prevê que a temperatura deve permanecer ao redor dos 45ºC até a próxima semana, o que complicará ainda mais a situação das pessoas que vivem ao ar livre. "As temperaturas máximas não devem cair de forma substancial. Mas esperamos uma melhora a partir de 2 de junho, com a chegada de fortes chuvas", disse Brahma Prakash Yadav, do Departamento Indiano de Meteorologia (IMD).

Falta de energia elétrica

Em Gurgaon, uma cidade satélite da capital, os moradores sofrem com cortes de energia elétrica de até 10 horas por dia e a rede se mostra incapaz de enfrentar a demanda dos equipamentos de ar-condicionado.

"Nada funciona. Mesmo com cinco banhos por dia, é impossível enfrentar o calor", disse Manish Singh, de 34 anos e proprietário de uma loja na cidade, à agência AFP. "Tentamos passar mais tempo do lado de dentro para evitar as ondas de calor. Está pior que nos anos anteriores. Não temos energia elétrica e os aparelhos de ar condicionado são inúteis", afirmou.

O setor elétrico da Índia, a terceira maior economia da Ásia, não tem linhas de transmissão suficientes e sofre com a constante insuficiência de fornecimento. Os hospitais permanecem em alerta para tratar as vítimas da onda de calor nos estados mais afetados. As autoridades aconselharam as pessoas a não saírem às ruas e permanecerem hidratadas.

Problema recorrente

Centenas de pessoas, especialmente entre os mais pobres, morrem a cada verão na Índia. Dezenas de milhares sofrem com os cortes de energia elétrica. Segundo o jornal The Hindustan Times, o forte calor pode provocar uma grande seca nos Estados mais afetados.

Os indianos aguardam o início da temporada de chuvas de monção, especialmente os agricultores. As chuvas devem começar no final do mês em Kerala (sul), mas demorarão várias semanas para chegar às planícies áridas do norte do país.

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.