Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 14/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 17/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 14/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 17/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 14/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 17/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 14/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 17/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Guiné-Bissau

Guiné-Bissau : greve na justiça até 28 de Março

media Símbolo da Justiça, estátua da Deusa de olhos abertos e sem venda. Ric e Ette/Flickr

Os tribunais da Guiné-Bissau retomaram a greve esta quarta-feira, 22 de Março, e prosseguem até terça-feira a paralisação no país. Os oficiais de justiça acusam o governo de falta de vontade política na resposta às exigências.

"Não houve negociação com o governo e retomámos a greve para cinco dias. O governo não nos chamou desde o dia 6 de Março, dia em que entregámos o pré-aviso de greve. Entendemos que devíamos retomar a segunda vaga da greve que começa hoje e termina no dia 28", descreveu o Presidente do sindicato de oficias de Justiça, Duarte Ocunami.

Os tribunais estão paralisados, sem serviços mínimos, no entanto podem estar presentes magistrados nos edifícios.

O sindicato de oficiais de Justiça exige que o governo normalize a situação de alguns oficiais que recebem ordenados desde 2007, mas nunca enquadrados na Função Pública e ainda aquisição de uma viatura de transporte para o pessoal.

O Presidente do sindicato de oficiais de Justiça, descreve um cenário insustentável para este sector que continua desde 2007 à espera da actualização de salários relativos a promoções e que reclama a devolução dos cofres dos tribunais para a gestão do ministério da justiça.

Presidente do sindicato dos oficiais de justiça, Duarte Ocunami. 22/03/2017 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.