Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 18/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 18/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 17/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 17/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Guiné-Bissau

Trabalhadores do Porto de Bissau contra privatização

media Porto de Bissau no final do dia Liliana Henriques / RFI

O Sindicato dos Trabalhadores do Porto de Bissau opõem-se à sua privatização anunciada, em meados de Julho, pelo ministro dos Transportes e Comunicações, Fidelis Forbs que, na altura, anunciou que uma empresa francesa e outra filipina estavam interessadas, tendo garantido que a empresa escolhida deveria pagar a dívida de 5,9 milhoes de euros à portuguesa Tertir que geriu o porto entre 1992 e 1999.

A intenção de ceder a gestão e exploração do principal porto comercial da Guiné-Bissau a um investidor que tenha capital para requalificar a infra-estrutura já é antiga, mas com o relançar do processo feito pelo actual Governo. Os ânimos exaltaram-se entre o executivo e os trabalhadores.

O governo, representado no processo pelo ministério dos Transportes, diz que o porto tem que ser entregue a um gestor privado, que tenha capital e conhecimentos de gestão que possa operar uma serie de mudanças na infra-estrutura, desde logo um investimento robusto de dinheiro para dragagem e sinalização dos canais de navegação de barcos e navios de grande calado.

Actualmente o calado máximo do Porto é de até 11 metros, quando há 30 anos atrás o calado máximo era de 14 metros.

Duas empresas concorreram para ficar com a gestão e exploração do Porto, uma francesa e outra das filipinas. Em agosto o governo vai anunciar qual das duas empresas irá ficar com a gestão do Porto. O Governo diz que está tudo esclarecido com o sindicato dos trabalhadores.

Os trabalhadores, estes, dizem que não é bem assim. Que não foram consultados, que a empresa que gere o Porto de Bissau, a APBG, está de boa saúde financeira que o Governo quer mais é vender a infraestrutura para que encher os bolsos dos governantes.

Ivo Cá, presidente do sindicato da APGB ameaça tirar os trabalhadores à rua se o Governo insistir na ideia. Pede ao Presidente José Mário Vaz para que trave a iniciativa. Mais detalhes com o nosso correspondente em Bissau, Mussá Baldé.

Correspondência de Bissau 23/07/2017 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.